Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Equipes de resgate encontram corpos de vítimas de acidente aéreo na Indonésia

Por Da Redação 10 Maio 2012, 08h39

Paula Regueira Leal.

Jacarta, 10 mai (EFE).- As equipes de resgate da Indonésia encontraram vários corpos e nenhum sobrevivente entre os restos do avião russo acidentado na quarta-feira com 45 pessoas a bordo em uma região montanhosa nas proximidades de Jacarta.

‘As equipes de resgate encontraram corpos ao lado dos restos do avião, mas nenhum sobrevivente’, disse à Agência Efe Tojah, porta-voz da Agência de Busca e Resgate.

As autoridades divulgaram uma lista que fixou em 45 o número de desaparecidos depois de descartar que outros cinco supostos passageiros estivessem no avião acidentado.

Segundo a agência ‘Antara’, as vítimas são em sua maioria indonésios representantes de várias companhias aéreas locais, entre eles, 14 são da companhia Sky Aviation que acabava de comprar 12 aparelhos SSJ 100 semelhantes ao acidentado por US$ 380,4 milhões.

Também estavam a bordo alguns jornalistas e oito russos representantes do fabricante Sukhoi.

As equipes de resgate chegaram ao local do acidente depois que os helicópteros que estavam realizando as tarefas de busca localizaram nesta manhã os restos da aeronave em uma encosta do monte Salak.

‘Encontramos fragmentos do avião nas coordenadas nas quais ontem perdemos o contato’, informou em entrevista coletiva o diretor da Agência de Busca e Resgate indonésia, Daryatmo.

O avião, do fabricante russo Sukhoi e modelo Superjet 100 (SSJ 100), perdeu o contato com os radares em um voo de exibição quando sobrevoava o vulcão Salak, próximo à cidade de Bogor, cerca de 60 quilômetros ao sul de Jacarta.

O piloto solicitou à torre de controle permissão para descer dos 10 mil aos 6 mil pés (de 3.005 a 1.830 metros) e desapareceu do radar quando se encontrava nos 6.200 pés.

Continua após a publicidade

O consultor de aviação Gerry Soejatman afirmou ao jornal ‘The Jakarta Globe’ que o avião teria que voar a uma altura de 11 mil pés (3.352 metros) para manter uma distância de segurança com Salak, de 2.211 metros.

Soejatman afirmou que não é recomendável realizar voos de exibição nos arredores do vulcão e acrescentou que os pilotos, de nacionalidade russa, provavelmente desconheciam as regiões montanhosas da ilha de Java e seu clima variável.

O presidente indonésio, Susilo Bambang Yudhoyono, anunciou a abertura de uma investigação para determinar as causas do acidente.

‘Espero que seja realizada uma investigação para conhecer a causa do acidente. O resgate das vítimas que possam estar vivas é nossa prioridade’, destacou Yudhoyono.

Dezenas de familiares dos passageiros se reuniram em um centro habilitado para cuidar da crise no aeroporto de Jacarta e em povoados próximos à região do acidente para conhecer as últimas novidades.

Enquanto isso, cerca de 600 profissionais das equipes de resgate, emergência, médicos e especialistas em identificação de pessoas se deslocaram ao local do acidente para colaborar nos trabalhos de busca.

O acidente aconteceu quando o avião realizava uma viagem pela Ásia organizada pelo fabricante russo para promover este novo modelo, que começou no Cazaquistão e que seria finalizada em meados deste mês no Laos e no Vietnã.

Durante a manhã de quarta-feira, o Superjet tinha realizado um primeiro voo de exibição nos arredores de Jacarta sem que fosse registrada nenhuma anomalia.

O SSJ-100, desenvolvido pela divisão de aviões civis da Sukhoi, tem uma capacidade máxima para 95 passageiros e um alcance de entre 3 mil e 4.500 quilômetros.

A aeronave foi concebida para concorrer com semelhantes da fabricante canadense Bombardier e da brasileira Embraer. EFE

Continua após a publicidade
Publicidade