Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Equipes de buscas encontram a cauda do avião da AirAsia

Parte que abriga as caixas-pretas do voo foi localizada por mergulhadores no fundo do mar de Java. Aeronave com 162 pessoas a bordo caiu há dez dias

Equipes de buscas encontraram nesta quarta-feira os destroços da cauda do avião da AirAsia, que caiu com 162 pessoas a bordo em 28 de dezembro. As peças do voo QZ8510, que viajava da Indonésia para a Singapura, foram localizadas por mergulhadores no fundo do Mar de Java. A descoberta aumenta as esperanças de que as duas caixas-pretas – que guardam as gravações das comunicações da cabine e os dados do voo – também sejam encontradas, já que no Boeing 320 elas estão localizadas na cauda da aeronave.

Leia mais:

Gelo nos motores pode ser a causa do acidente com avião da AirAsia

Mulher descobre que irmão estava em avião da AirAsia ao ver selfie

O chefe de operações de busca e resgate, Bambang Soelistyo, confirmou que sua equipe visualizou a cauda e disse que a prioridade agora será inspecionar os destroços no fundo do mar. Os mergulhadores demoraram vários dias para poder trabalhar devido à força das ondulações e correntes marítimas. As equipes estão tentando confirmar se outros sete destroços avistados no leito marinho pertencem ao avião da AirAsia. Até o momento, quarenta corpos foram recuperados e as autoridades acreditam que a maioria das vítimas ainda esteja dentro dos destroços do avião no fundo do mar.

O fundador e executivo-chefe da AirAsia, Tony Fernandes, comentou no Twitter a descoberta da causa da aeronave. “Soube que uma parte da cauda foi encontrada. Se for a seção correta, as caixas-pretas devem estar lá”, escreveu ele. “Precisamos encontrar todas as partes em breve para achar todos os passageiros e assim aliviar as famílias. Esta é ainda nossa prioridade”, declarou Fernandes.

Tragédia – O voo QZ8501 decolou da cidade de Surabaya, na Ilha de Java e deveria ter aterrissado duas horas depois em Singapura, mas caiu no mar cerca de 40 minutos após sua saída. A aeronave transportava 155 indonésios, três sul-coreanos, um britânico, um francês, um malaio e um singapurense, entre passageiros e tripulação.

O piloto solicitou à torre de controle para fazer um desvio à esquerda na rota e subir de 32.000 para 38.000 pés com o objetivo de contornar uma tempestade. A alteração de curso foi aprovada, mas a elevação negada porque outra aeronave já trafegava na mesma altitude. Minutos depois, quando os controladores de voo tentaram entrar em contato para informar que o avião da AirAsia estava autorizado a subir até 34.000 pés, não houve resposta. A aeronave já havia sumido dos radares.

(Com agência EFE)