Clique e assine a partir de 9,90/mês

Equipe russa não foi afetada durante invasão à embaixada na Líbia

Por Da Redação - 5 fev 2012, 15h08

Moscou, 5 fev (EFE).- Os funcionários da embaixada russa em Trípoli não foram afetados depois que dezenas de manifestantes líbios invadiram neste domingo seu edifício em protesto pelo veto de Moscou à resolução do Conselho de Segurança da ONU sobre a Síria, informou o Ministério de Relações Exteriores da Rússia.

‘Nenhum funcionário de nossa missão diplomática saiu afetado. Também não foram causados danos materiais consideráveis à nossa embaixada’, relatou um porta-voz da Chancelaria russa à agência ‘Interfax’.

Moscou afirmou que as autoridades líbias transmitiram suas desculpas à Rússia pelos fatos ocorridos, durante os quais os invasores tiraram a bandeira russa da embaixada e içaram a da Síria.

‘As autoridades afirmaram que as circunstâncias da invasão serão investigadas e a segurança de nossa missão diplomática em Trípoli será garantida’, indicou o departamento russo de Relações Exteriores.

Os manifestantes que invadiram a embaixada exigiram ao Conselho Nacional de Transição (CNT) líbio que expulse o embaixador russo, em protesto pela decisão de Moscou de bloquear a iniciativa árabe no Conselho de Segurança da ONU.

No momento da invasão, o embaixador não se encontrava no edifício, mas havia vários funcionários da missão diplomática.

Os jovens acusaram a Rússia de apoiar os regimes durante as revoltas da Primavera Árabe e de manter um papel neutro durante a rebelião popular líbia, que derrubou o regime de Muammar Kadafi.

Neste sábado, o veto de Rússia e China no Conselho de Segurança da ONU impediu a aprovação de um projeto de resolução para condenar o regime de Bashar Al Assad e exigir a cessação da violência.

É a segunda ocasião em quatro meses que esses dois países vetam uma resolução de condenação a Damasco no Conselho de Segurança da ONU. EFE

Continua após a publicidade
Publicidade