Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ensino do inglês será prioridade em Cuba após aproximação com os EUA

"O idioma inglês é imprescindível", disse o número dois do Partido Comunista cubano em congresso estudantil no final de semana

Em meio à histórica aproximação entre Estados Unidos e Cuba, o ensino do inglês passará a ser uma das prioridades no sistema educacional na ilha, informou nesta segunda-feira a imprensa cubana.

“Como prioridades na educação, foram mantidos o ensino da História de Cuba e da língua materna [espanhol], assim como o domínio do idioma inglês”, afirmou o jornal estatal Granma, em matéria sobre o começo do ano escolar, na próxima terça-feira.

Leia também:

Kerry: “Democracia genuína” é a melhor opção para os cubanos

Completando 89 anos, Fidel fala em “muitos milhões de dólares” de dívidas dos EUA com Cuba

Obama pede ao Congresso para suspender embargo a Cuba

Nos anos 70, o ensino do inglês foi substituído pelo russo, idioma do principal aliado de Cuba desde a revolução de Fidel Castro em 1959, a União Soviética. Com a desintegração do bloco soviético em 1991, o inglês voltou aos programas de ensino, mas a atual aproximação entre Washington e Havana desencadeou um grande interesse dos cubanos por aprender a língua.

“O idioma inglês é imprescindível porque a cada dia que passa teremos mais contato [com os Estados Unidos e outros países]. Além disso, vocês sabem, com a tecnologia é preciso falar inglês. Se falarem dois ou três idiomas melhor, mas o inglês é imprescindível”, declarou o número dois do Partido Comunista cubano – o único partido do país – José Ramón Machado Ventura, ao fim de um congresso de estudantes universitários no último sábado.

Fidel Castro reconheceu em 2008, dois anos depois de delegar o mandato a seu irmão Raúl, a importância de falar o idioma do inimigo: “Os russos estudavam inglês. Todo mundo estudava inglês, menos nós, que estudávamos russo”, lamentou.

(Com AFP)