Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Enfermeiro alemão confessa ter matado 30 doentes terminais

Segundo relatório psiquiátrico, homem acusado por três homicídios e que já foi condenado por tentativa de assassinato confessou outros crimes

Por Da Redação 8 jan 2015, 14h45

Um enfermeiro alemão acusado formalmente de três mortes e duas tentativas de assassinato na clínica na qual trabalhava confessou ter matado cerca de trinta doentes terminais, segundo um relatório psiquiátrico apresentado nesta quinta-feira em Oldenburg, no norte da Alemanha, onde fica o tribunal que julga o caso.

Segundo o relatório, Niel H., de 38 anos, fez a confissão durante um exaustivo exame psiquiátrico ao qual foi submetido em meio à investigação dos crimes pelos quais responder.

O relatório afirma que o enfermeiro aplicou uma injeção com overdose de um remédio para o coração nos pacientes. Com isso, ele esperava demonstrar sua capacidade de ressuscitar os doentes.

Os crimes ocorreram na Clínica Delmenhorst, perto de Oldenburg, entre 2003 e 2005. No total, a polícia investiga 170 casos suspeitos no mesmo hospital em que o enfermeiro trabalhava.

O homem já foi condenado em 2008 a sete anos e meio de prisão por uma tentativa de assassinato em uma unidade de terapia intensiva da Clínica Delmenhorst. Ele foi surpreendido por uma colega 2005 quando tentava injetar medicamentos em um paciente, que sobreviveu.

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade