Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Encontro entre Assad e Kofi Annan foi ‘positivo’, diz TV síria

Ditador recebeu neste sábado o ex-secretário-geral da ONU, que tenta estabelecer as bases de um diálogo com a oposição

O enviado da ONU e da Liga Árabe para a Síria, Kofi Annan, reuniu-se neste sábado em Damasco com o ditador sírio, Bashar al-Assad, para tentar estabelecer as bases de um diálogo com a oposição.

“Nenhum diálogo político pode ter êxito enquanto houver grupos terroristas armados que propagam o caos”, afirmou Assad durante o encontro, de acordo com a agência de notícias oficial do país. Conforme a televisão oficial do país, o encontro entre Anna e Assad foi ‘positivo’.

Após o encontro com Assad, Annan almoçou com o ministro das Relações Exteriores do regime sírio, Walid al-Mouallem, em um restaurante da parte antiga de Damasco.

Ex-secretário-geral da ONU, Annan tem como missão promover o diálogo entre as autoridades sírias e a oposição para encontrar uma saída negociada a uma crise político-social que começou há um ano, com protestos populares pacíficos, e se agravou nos meses seguintes com a mobilização armada da população.

A oposição na Síria, no entanto, rejeita negociar com o regime de Assad, temerosos de que um diálogo só daria mais tempo às autoridades para continuar com a repressão dos protestos.

Oposição – O ex-secretário-geral da ONU também terá reuniões com representantes da sociedade civil. O opositor Abdul-Aziz al-Khair, membro do Conselho de Coordenação Nacional – órgão que reúne diversos grupos políticos de oposição da Síria – anunciou que se encontrará com Annan ainda neste sábado.

Fontes diplomáticas disseram que o enviado da ONU seguirá para a Turquia neste domingo. Antes de viajar à Síria, Annan fez uma escala de três dias no Cairo, onde se reuniu com o secretário-geral da Liga Árabe, Nabil el-Araby, e com o ministro das Relações Exteriores egípcio, Mohamed Amr.

Na quinta-feira, Annan enfatizou a necessidade de manter a via diplomática e alertou sobre as consequências de uma hipotética intervenção militar na Síria que, segundo ele, só pioraria o quadro: “Acho que qualquer aumento das operações militares iria deteriorar a situação”.

Enquanto Annan visita a Síria, os ministros das Relações Exteriores da Liga Árabe se reúnem neste sábado no Cairo com o chanceler da Rússia, Sergei Lavrov, cujo país permanece reticente a condenar o regime Assad pela repressão interna devido à tradicional aliança Moscou-Damasco.

(Com agência EFE)