Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Encontrado porta-aviões americano que afundou durante a 2ª Guerra

O USS Lexington afundou em maio de 1942 em confronto com navios japoneses durante a chamada Batalha do Mar de Coral, na costa da Austrália

Por Da redação Atualizado em 6 mar 2018, 13h31 - Publicado em 6 mar 2018, 12h18

Os destroços de um porta-aviões dos Estados Unidos que afundou durante a Segunda Guerra Mundial foram encontrados na costa da Austrália, no domingo, em bom estado de preservação. A equipe que encontrou a embarcação foi comandada pelo co-fundador da Microsoft Paul Allen.

O USS Lexington estava a 800 quilômetros da costa australiana e a uma profundidade de 3 quilômetros. Imagens registradas pela equipe de Allen mostra a embarcação em ótimo estado de conservação apesar dos 76 anos debaixo d’água.

Porta-aviões afundado na Segunda Guerra é encontrado no Pacífico
Durante uma busca, o cofundador da Microsoft, Paul G. Allen, encontrou destroços do USS Lexington, um porta-aviões dos EUA que afundou durante a Segunda Guerra Mundial – 06/03/2018 Paul G. Allen/AFP

O navio, que transportava 35 aviões, afundou entre os dias 4 e 8 de maio durante a Batalha do Mar de Coral, quando foi bombardeado por porta-aviões japoneses. Mais de 200 pessoas morreram na batalha e mais de 2000 foram resgatados. O confronto é considerado importante para a guerra por marcar o avanço japonês sobre o pacífico.

  • Segundo o porta-voz da equipe de Allen, o USS Lexington, ou “Lady Lex” como também era chamado, estava em sua lista de prioridades para ser encontrado justamente por ter se perdido durante a Segunda Guerra. Foram cerca de seis meses para conseguir localizar o navio.

    Porta-aviões afundado na Segunda Guerra é encontrado no Pacífico
    Aeronaves notavelmente preservadas podem ser observadas no fundo do mar, com as insígnias da estrela de cinco pontas das Forças Aéreas do Exército dos EUA em suas asas e fuselagem – 06/03/2018 Paul G. Allen/AFP

    A Marinha americana informou que não irá recuperar a embarcação, pois ela é considerada um túmulo de guerra.

    O almirante Harry Harris, chefe do Comando do Pacífico dos Estados Unidos e cujo pai lutou na batalha, elogiou a descoberta: “Como filho de um sobrevivente do USS Lexington, ofereço meus parabéns a Paul Allen e à equipe de expedição para localizar o ‘Lady Lex'”, afirmou nesta terça-feira

    Continua após a publicidade
    Publicidade