Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Embaixada brasileira em Berlim é apedrejada em protesto contra a Fifa

Imprensa local atribui vandalismo a protesto contra a Copa do Mundo. Cerca de dez pessoas vestidas de preto quebraram vidros do primeiro andar do prédio esta madrugada

A embaixada brasileira em Berlim foi apedrejada na madrugada desta segunda-feira. Um grupo estimado em dez pessoas vestidas de preto lançou cerca de oitenta pedras e destruiu grande parte dos vidros do primeiro andar do prédio. O site Indymedia publicou a carta de um grupo anônimo que assume a autoria do ataque. “Para chamar a atenção para o que a Copa do Mundo significa e derrubar a Fifa, fizemos uma ação com as armas mais simples do povo, as pedras. Com as mesmas pedras usadas para sua defesa contra o batalhão de choque, nós demolimos a fachada da embaixada brasileira”. Ao fim do texto, há as expressões “não vai ter Copa” – repetida em protestos no Brasil – e “vai ter revolta”.

Leia também:

A um mês da Copa, a seleção pode ganhar, mas o Brasil perdeu

Site publica carta de autores de ataque à embaixada brasileira na Alemanha Site publica carta de autores de ataque à embaixada brasileira na Alemanha

Site publica carta de autores de ataque à embaixada brasileira na Alemanha (/)

O Itamaraty ainda não se pronunciou a respeito do ataque. Sites alemães chegaram a publicar esta manhã que o ataque à representação brasileira seja uma ação executada e planejada por integrantes do Black Bloc, movimento que tem orquestrado manifestações violentas no Brasil, particularmente no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Leia também:

Grupo planeja causa blecaute durante a Copa do Mundo

Com a aproximação da Copa do Mundo, páginas ligadas ao grupo na internet convocam pessoas contrárias à realização da competição a realizar protestos no Brasil e em outras partes do mundo. A embaixada brasileira em Berlim fica na rua Wall, no centro da capital alemã, numa área nobre com hotéis, museus e representações diplomáticas de outros países.

Segundo o jornal alemão Bild, 31 vidraças foram quebradas. Os depredadores fugiram sem ser identificados, mas a polícia já iniciou uma investigação para tentar localizá-los. “O dano material é considerável”, informa o jornal Berliner Zeitung.

Leia também:

Copa terá policiais estrangeiros dentro dos estádios

Contra protestos, Rio terá central de escoltas durante a Copa