Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Em visita ao Egito, premiê turco apoia palestinos e ‘Primavera Árabe’

Por Por Hala BONCOMPAGNI
13 set 2011, 14h51

O primeiro-ministro da Turquia fez um apelo para o reconhecimento de um Estado palestino na ONU e apoiou o que chamou de reivindicações legítimas das revoltas árabes, durante visita ao Cairo nesta terça-feira.

Recep Tayyip Erdogan, falando ante a Liga Árabe, afirmou que o reconhecimento de um Estado palestino “não é uma opção, mas uma obrigação”, referindo-se ao pedido que os palestinos pretendem apresentar às Nações Unidas.

“Antes do fim do mês, veremos uma Palestina com um status muito diferente na ONU”, afirmou o líder turco, convidado a falar diante da organização pan-árabe.

Forte crítico do Estado hebreu, ex-aliado estratégico da Turquia, ele acusa Israel de “continuar a tomar medidas irresponsáveis que ultrapassam a legitimidade” e destacou que “a política agressiva do governo israelense ameaça o futuro do povo de Israel”.

Erdogan reafirmou que não tem a intenção de normalizar as relações com Israel enquanto o governo não pedir desculpas pelo ataque contra o navio turco que fazia parte de um comboio de ajuda Humanitária para Gaza em 2010. Na ação, 9 militantes turcos foram mortos.

A Liga Árabe recebeu na segunda-feira o presidente palestino Mahmud Abbas, e também expressou seu apoio ao pedido de reconhecimento que poderá ser apresentado no dia 20 de setembro à Assembléia Geral da ONU.

Continua após a publicidade

Os Estados Unidos disseram que vetariam uma iniciativa palestina no Conselho de Segurança, e o presidente Barack Obama afirmou na segunda-feira que a tentativa dos palestinos de obter o reconhecimento de seu Estado na ONU constituirá uma “distração” que não resolverá o conflito com Israel.

A Rússia, por outro lado, apóia a iniciativa palestina, enquanto que a União Europeia continua dividida a respeito.

Um grupo de países composto pelo Qatar, Egito e Jordânia ajudará os palestinos a reunir apoio internacional necessário para este projeto, afirmou o negociador palestino Saeb Erakat.

Cairo é o ponto de partida de uma visita aos países da chamada Primavera Árabe. O primeiro-ministro ainda seguirá para a Tunísia e a Líbia a fim de estreitar as relações com os novos líderes dos países que viram seus ex-presidentes serem derrubados pelas revoltas populares dos últimos meses.

“A liberdade, a democracia e os Direitos Humanos devem ser as palavras de ordem para unificar o futuro de nossos povos”, disse em seu discurso à Liga Árabe.

Continua após a publicidade

“As reivindicações legítimas do povo não podem ser reprimidas pela força e pelo sangue”, acrescentou.

“A história foi escrita na Praça Tahrir e isso significa muito para nós”, afirmou mais tarde, durante uma entrevista ao lado do presidente egípcio Essam Sharaf, referindo-se à célebre praça do Cairo onde aconteceram as maiores manifestações contra o regime do antigo presidente Hosni Mubarak.

Erdogan, muito popular entre os árabes por seus ataques verbais contra o Estado judeu, foi acolhido por uma multidão de aproximadamente 3.000 admiradores na noite de segunda em sua chegada no aeroporto do Cairo, segundo testemunhas.

Ele se reuniu nesta terça com o chefe do conselho militar, que dirige o país desde a queda de Hosni Mubarak, o marechal Hussein Tantaoui.

Vários acordos econômicos foram assinados. Os dois países afirmaram o desejo de ver as trocas comerciais bilaterais passarem dos 3 bilhões de dólares por ano para 5 bilhões nos próximos anos.

Continua após a publicidade

O Egito também atravessa uma fase delicada nas relações com Israel, marcada pelo ataque de manifestantes contra a embaixada israelense no Cairo na sexta-feira passada.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.