Clique e assine a partir de 8,90/mês

Em áudio, príncipe saudita ordenou ‘silenciar’ jornalista, diz jornal

Segundo coluna publicada no jornal turco Hurriyet, Mohammed bin Salman teria feito o comando durante conversa com irmão

Por Da Redação - Atualizado em 22 nov 2018, 15h04 - Publicado em 22 nov 2018, 13h14

Um jornal turco publicou nesta quinta-feira (22) que a diretora da CIA, Gina Haspel, sinalizou a autoridades do país que a agência tem posse da gravação de um telefonema, feito pelo príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, em que ele dá instruções para “silenciar” o jornalista saudita Jamal Khashoggi.

Questionada sobre a informação, uma autoridade turca disse à Reuters que não tem informações sobre tal gravação. Há seis semanas, em declaração no consulado do país em Istambul, os sauditas haviam afirmado que o príncipe herdeiro não teve conhecimento prévio do assassinato de Khashoggi.

Ligação envolveria irmão do príncipe, embaixador nos EUA

Abdulkadir Selvi, jornalista do veículo turco Hurriyet, escreveu em sua coluna que a suposta ligação em posse da Central de Inteligência Americana seria entre o príncipe herdeiro e o irmão, Khalid bin Salman, embaixador da Arábia Saudita em Washington.

Ainda segundo o texto, a diretora da CIA sugeriu a existência da gravação durante visita à Turquia no mês passado. Citando fontes não identificadas, o colunista afirma que as duas autoridades sauditas são ouvidas discutindo o ‘desconforto’ criado pelas críticas públicas de Khashoggi contra a administração do Reino.

“Está sendo dito que o príncipe herdeiro deu ordens para ‘silenciar Jamal Khashoggi o mais cedo possível'”, completou Selvi.

Khashoggi, jornalista saudita radicado nos EUA, foi assassinado no consulado saudita em Istambul no dia 2 de outubro, durante uma operação que o presidente turco, Tayyip Erdogan, disse ter sido ordenada pelo nível mais alto da liderança saudita.

Depois de oferecer várias explicações contraditórias, na semana passada, o governo de Riad disse que Khashoggi foi morto e teve o corpo esquartejado quando negociações para persuadi-lo a voltar à Arábia Saudita fracassaram.

Continua após a publicidade
Publicidade