Clique e assine a partir de 9,90/mês

Em sentença do caso WikiLeaks, pesará dano causado por Manning a Washington

Soldado americano foi considerado culpado de vazamento de documentos

Por Da Redação - 5 ago 2013, 09h50

Um funcionário do Departamento de Estado americano deve depor nesta segunda-feira sobre como o vazamento de documentos diplomáticos confidenciais pelo soldado Bradley Manning para o site WikiLeaks afetou as relações entre Washington e os seus aliados. A fase de sentença, que começou na semana passada, está prevista para ser retomada nesta segunda – e deve durar pelo menos até 9 de agosto, segundo autoridades militares.

Leia também:

Leia também: Promotoria diz que soldado colocou vidas em risco ao vazar documentos

A juíza coronel Denise Lind considerou, em 30 de julho, o soldado Manning, de 25 anos, culpado de 19 acusações criminais relacionadas aos vazamentos – a maior divulgação não autorizada de dados secretos americanos da história.

Manning não foi condenado por ajudar o inimigo, a acusação mais grave enfrentada por ele, mas os crimes dos quais foi considerado culpado podem resultar em até 136 anos de prisão.

Espera-se que os promotores militares escutem Patrick Kennedy, um funcionário veterano do Departamento de Estado que fazia parte de uma “Força Tarefa de Revisão de Informações”, criado na esteira do vazamento para avaliar os danos às relações exteriores dos EUA ou qualquer outra consequência. Ele também deve falar sobre métodos globais de compartilhamento de inteligência.

(Com agência Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade