Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Em reunião, Kim alerta sobre Covid-19 e chegada de tufão à Coreia do Norte

Encontro acontece após especulações sobre estado de saúde de líder norte-coreano

Por Caio Saad Atualizado em 26 ago 2020, 12h22 - Publicado em 26 ago 2020, 12h03

Em meio a especulações no exterior sobre o estado de sua saúde, o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, realizou nesta quarta-feira, 26, uma reunião dedicada ao coronavírus e à chegada iminente de um tufão que deve atingiu o país ainda nesta semana. 

Vestido de branco e fumando um cigarro, Kim disse aos membros do politburo que há “algumas falhas” no esforços estatais para manter o “vírus maligno” distante, relatou a mídia estatal norte-coreana, sem dar mais detalhes. Em resposta, ele pediu medidas mais contundentes para remediar as “carências”. 

A Coreia do Norte fechou rapidamente suas fronteiras quando a Covid-19 começou a se espalhar pela China, no início do ano. Uma epidemia seria possivelmente desastrosa no país, que não conta com infraestruturas de saúde suficientes. 

ASSINE VEJA

Aborto: por que o Brasil está tão atrasado nesse debate Leia nesta edição: as discussões sobre o aborto no Brasil, os áudios inéditos da mulher de Queiroz e as novas revelações de Cabral
Clique e Assine

No mês passado, Pyongyang ordenou o confinamento da cidade de Kaesong, próxima à fronteira com a Coreia do Sul, e afirmou que um desertor foi detido depois de entrar ilegalmente a partir do território sul-coreano e que ele era suspeito de ter testado positivo para o novo coronavírus. As restrições foram retiradas depois de três semanas e, segundo a Organização Mundial da Saúde, os testes realizados no suspeito foram inconclusivos.  

A reunião presidida por Kim nesta quarta-feira também abordou medidas que devem ser adotadas para proteger a população e as colheitas em meio à chegada do tufão Bavi. Chuvas torrenciais neste mês já causaram grandes enchentes e estragos no país. 

Continua após a publicidade

Segundo o centro meteorológico da BBC, intensas chuvas são previstas, poucas semanas antes da colheita de arroz. De acordo com a Organização das Nações Unidas, 10 milhões de pessoas estão em situação de insegurança alimentar na Coreia do Norte, que tem cerca de 25 milhões de habitantes. 

Com condições de vento favoráveis, especialistas estimam que o Bavi deve se intensificar antes de chegar à ilha sul-coreana de Jeju. Nesta quarta, a tempestade estava centrada a cerca de 500 quilômetros de Sasebo, no Japão, e se movia sentido norte-noroeste com ventos máximos de 175 quilômetros por hora.

De acordo com a agência espacial norte-americana, a Nasa, o tufão deve se enfraquecer antes de chegar à Coreia do Norte, com ventos de até 150 quilômetros por hora, o equivalente a um furacão de categoria 1. O Bavi é a oitava tempestade tropical da temporada de tufões do Pacífico neste ano. 

As fotos publicadas pela mídia estatal da reunião desta quarta-feira minimizam suposições, em maioria vindas da Coreia do Sul, de que Kim estaria com problemas de saúde, ou até mesmo teria morrido. O estado de saúde do líder norte-coreano é um segredo de Estado muito bem guardado, em um país fechado e sem liberdade de imprensa. Os rumores sobre Kim são recorrentes e até os serviços de inteligência sul-coreanos se equivocam com frequência sobre a situação na Coreia do Norte. 

  • Em abril, os alarmes voltaram a disparar quando Kim não fez aparições públicas por três semanas e nenhuma foto oficial do dirigente foi divulgada durante as celebrações do aniversário de nascimento de seu avô, Kim Il Sung, fundador do regime, uma data muito importante no calendário político norte-coreano.

    Continua após a publicidade
    Publicidade