Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Em novos protestos, Venezuela tem 41 pessoas presas

Manifestantes bloquearam estradas com barricadas e entraram em confronto com as forças policiais, que usaram gás lacrimogêneo para dispersar a multidão

Por Da Redação
1 mar 2014, 05h52

Em mais um dia de protestos contra o governo de Nicolás Maduro, 41 pessoas foram presas pelas autoridades venezuelanas neste sábado por armar barricadas e bloquear estradas no município de Chacao, na região metropolitana de Caracas. Entre os manifestantes detidos estão oito estrangeiros, “procurados por terrorismo internacional”, segundo declarou Teresa Maniglia, chefe de imprensa do governo, no Twitter.

Leia também:

Relatório sobre direitos humanos critica a Venezuela

Maduro começa a perder apoio entre os mais pobres

Continua após a publicidade

Um dos principais focos dos protestos contra Maduro, Chacao voltou a registrar enfrentamentos entre manifestantes e forças de segurança na noite de sexta-feira. Policiais dispararam várias bombas de gás lacrimogêneo para dispersar a multidão. Confrontos também ocorreram em El Rosal, no leste da capital, onde centenas de pessoas bloquearam ruas e jogaram pedras na polícia. Bombas de gás foram lançadas contra os manifestantes. Serviços de saúde locais informaram pelo menos vinte feridos no protesto, entre eles pessoas intoxicadas pelo gás.

Transtornos – Embora as atividades públicas e comerciais tenham sido suspensas desde ontem por decisão do governo, que aumentou de quatro para seis dias o feriado oficial de Carnaval, em alguns pontos da cidade eram vistas longas filas de veículos devido a bloqueios de vias durante as manifestações. As barricadas também forçaram dezenas de pessoas a andar vários quilômetros para chegar às suas casas e a algumas lojas que abriram na sexta.

Protestos – A Venezuela vive uma onda de protestos desde o dia 12 de fevereiro que levaram a confrontos entre as forças de segurança e grupos violentos que protestam contra as políticas do governo. Os enfrentamentos tiveram como consequência, até o momento, 17 mortes e mais de 200 pessoas feridas.

(Com agências EFE e Estadão Conteúdo)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.