Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Em livro, Bush pai culpa Rumsfeld e Cheney por fracasso do governo de seu filho

'O grande erro foi deixar que Cheney trouxesse consigo a sua definição própria de Departamento de Estado', disse o ex-presidente em biografia prestes a ser lançada

O ex-presidente dos Estados Unidos entre 1989 e 1993, George Bush, critica com contundência Dick Cheney e Donald Rumsfeld, ambos essenciais na Presidência de seu filho George W. Bush (2001-2009), segundo sua última biografia, ainda não publicada. A emissora Fox News, que antecipou trechos do livro nesta quinta-feira, abordou este episódio inédito em Bush pai, de 91 anos e que sempre tinha mantido um tom muito respeitoso ao falar das presidências de seus sucessores, mas que desta vez critica duas figuras que “serviram mal ao presidente [seu filho]”. No livro, escrito por Jon Meacham com base em diários e entrevistas com o ex-presidente, Bush considera Cheney e Rumsfeld responsáveis por prejudicar o governo de seu filho.

Sobre o ex-vice-presidente, Bush disse que “ele se tornou um extremista, uma pessoa muito diferente do Dick Cheney que conheci e com o qual trabalhei”. Ele também lembrou que Cheney, durante muitos anos, foi uma figura de destaque dentro do Partido Republicano e foi secretário de Defesa durante sua presidência, mas mudou com o passar dos anos. “Sua reação aos atentados terroristas do dia 11 de setembro de 2001, o que ele fez no Oriente Médio, foi uma atitude de um radical”, declarou Bush a seu biógrafo, acusando o ex-vice-presidente de querer “utilizar a força para resolver tudo”.

Leia também

Bush pai sofre fratura em queda e é hospitalizado

George W. Bush expõe quadros em que retrata personalidades mundiais

O veterano da dinastia política dos Bush também lamentou que Cheney teve, segundo sua opinião, muita independência em relação ao presidente. “O grande erro foi deixar que Cheney trouxesse consigo a sua definição própria de Departamento de Estado”, disse em referência à equipe de assessores de segurança nacional que o vice-presidente construiu a seu redor. Bush chegou a insinuar que, no seu entender, a evolução de Cheney rumo a posturas mais extremistas foi causada pela influência de sua esposa, Lynne, e de sua filha, Liz, ambas com um perfil marcadamente conservador.

Em relação ao ex-secretário de Defesa na presidência de George W. Bush, Donald Rumsfeld, Bush pai foi inclusive além, acusando-o de ser “um tipo arrogante” que “feriu o presidente” e que não gostou do que ele fez. “Jamais fui próximo a ele. Tem uma ausência de humildade, uma incapacidade de ver o que outra pessoa pensa”, afirmou.

(Da redação)