Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Em dia de eleições presidenciais, Colômbia registra três explosões

Eventos são atribuídos a protestos da força dissidente das Farc pela pretensa morte do líder Gentil Duarte, na Venezuela

Por Da Redação Atualizado em 29 Maio 2022, 16h07 - Publicado em 29 Maio 2022, 13h12

O ministro da Defesa colombiano Diego Molano informou neste domingo, 29, data do primeiro turno das eleições presidenciais no país, que foram registradas pelo menos três explosões nas regiões de Cartagena del Chairá, El Retorno e na área rural de La Catalina, em San José del Guaviare. O governo atribui os episódios a iniciativas da força dissidente das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) contra agentes de segurança nacional em resposta à informação do governo local de que o líder do grupo e figura histórica na guerrilha colombiana, Gentil Duarte, morreu nos últimos dias na Venezuela.

Ao longo da semana Molano afirmara que informações do serviço de inteligência da Colômbia davam conta de que Duarte, cujo verdadeiro nome era Miguel Botanche Santanilla, foi abatido em confronto com narcotraficantes e terroristas no estado venezuelano de Zulia. O guerrilheiro havia sido expulso das Farc em 2016 após de opor a um acordo de paz entre o grupo e o governo federal para dar fim a décadas de conflito.

Em entrevista para o primeiro balanço sobre o dia de votações no país, o ministro da Defesa declarou que, em uma das explosões, um soldado da Força Pública ficou ferido, mas disse que o processo eleitoral segue normal em todo o país e sem reflexos no andamento da votação. “São três episódios independentes que não afetam o processo eleitoral”, afirmou.

As urnas foram abertas às 8h na Colômbia (10h no horário de Brasília) e estão dispostas em 12.500 mesas de votação em um pleito em que os eleitores, a exemplo do Brasil, estão com os olhos voltados aos rumos da economia. Um levantamento da consultoria YahHass mostra que 28% dos entrevistados apontam este quesito como o principal motivo de preocupação, tema completamente distinto da pauta das últimas eleições, quando o acordo de paz entre as Farc e o governo – o mesmo que Gentil Duarte criticava – dominava os debates dos presidenciáveis.

Lideram as pesquisas de intenção de votos à Presidência da Colômbia o ex-guerrilheiro do M-19 e ex-prefeito de Bogotá Gustavo Petro, favorito, e o ex-prefeito de Medellín Federico ‘Fico’ Gutiérrez. Na véspera da eleição, Petro, que conta com a simpatia de setores da esquerda brasileira, agradeceu ao “apoio” do ex-presidente Lula, líder nas pesquisas nacionais de intenção de votos, e disse que, se eleito, pretende firmar uma parceria com o Brasil para “salvar a selva amazônica”. “Se avizinha uma forte aliança entre Colômbia e Brasil. O primeiro objetivo: salvar a selva amazônica, fundar a bioeconomia no conhecimento científico da diversidade da selva”. 

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)