Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Em crise, Grécia paga pensão até a pessoas mortas

O principal fundo de seguridade social grego, o Ika, gastou 1,8 milhão de euros ao pagar pensões a 1.400 pessoas mortas há anos, informou nesta quinta-feira o ministério de Emprego e Seguridade Social.

O Ika descobriu que estas pensões foram pagas a pessoas nascidas antes de 1920 e já falecidas, informou a agência de imprensa grega ANA (semioficial).

Além de se comprometer a atualizar as listas de aposentados, a Ika vai realizar uma investigação para tentar recuperar as somas já pagas, segundo a mesma fonte.

A investigação abarcará as famílias que não tinham declarado as mortes de seus parentes aos serviços sociais – para continuar recebendo as pensões – e as contas bancárias para as quais a instituição continuava transferindo o dinheiro, que nunca foi retirado.

Esse novo incidente de mal uso de fundos públicos, devido sobretudo à contabilidade mal organizada, ocorre dez dias depois de ter sido divulgado que um número estranhamente alto de cegos – várias centenas – recebiam ajudas públicas em uma ilha grega.

O vice-ministro da Saúde, Markos Bolaris, ordenou uma investigação aos mais de 600 moradores dessa ilha, cujo nome não foi divulgado, e que são suspeitos de embolsar essas ajudas.

Há um ano, o ministério tinha afirmado que milhões de euros foram pagos a cada ano em pensões a pessoas mortas há tempos.

Submetida a um plano de ajuste draconiano desde 2010 pela União Europeia e o Fundo Monetário Internacional, seus principais credores, a Grécia, atingida por uma dívida pública colossal, tenta reduzir os gastos.