Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Em clima de festa, eleitores vão às urnas no isolado Turcomenistão

Moscou, 12 fev (EFE).- Os turcomenos foram às urnas neste domingo para escolher o presidente do país numa eleição que ocorreu sem a presença de observadores ocidentais.

Quase três milhões de pessoas, ou 92,82% dos eleitores, participaram das eleições no Turcomenistão, considerado um dos países menos democráticos e mais fechados do mundo.

Não participar das eleições é muito mal visto na feudal sociedade do país, por isso o pleito ocorreu num ambiente festivo e de muitas filas nos pontos de votação, segundo a agência oficial russa ‘RIA- Novosti’.

Os eleitores eram recebidos por mulheres vestidas com trajes tradicionais que ofereciam comidas típicas, enquanto grupos musicais interpretavam canções folclóricas. Os cidadãos mais jovens e os mais idosos a votarem chegaram até mesmo a ganhar presentes.

Os colégios eleitorais fecharam as portas às 15h (GMT), e a apuração começou logo em seguida. Os resultados oficiais só serão divulgados no início da semana.

O atual presidente, Gurbanguly Berdymuhamedov, que concorre a mais um mandato, foi eleito no pleito passado, em 2007, com 89% dos votos.

Além dele, concorrem nestas eleições mais sete candidatos. Todos os analistas consideram certa a reeleição do atual líder, pois o presidente conta com o apoio do Ocidente, da Rússia, China e Irã, já que o Turcomenistão é um grande exportador de gás.

Esta foi a segunda eleição na história do país em que o atual presidente não é o único candidato. Diante da impossibilidade de acompanhar a votação com liberdade e o conhecimento de que o resultado já estava definido, a Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) não enviou uma missão de observadores para o país. EFE