Clique e assine a partir de 8,90/mês

Em categoria 2, furacão Dorian continua devastador a caminho da Flórida

ONU enviará ajuda a 61.000 pessoas nas Bahamas, onde há registro de cinco mortos e destruição de 13.000 casas

Por Da Redação - Atualizado em 3 set 2019, 19h03 - Publicado em 3 set 2019, 12h53

O furacão Dorian tornou-se menos potente, mas ainda causa enorme destruição e segue lentamente em direção ao estado americano da Flórida, depois de devastar as Bahamas, no Caribe. O Centro Nacional de Furacões (NHC), dos Estados Unidos, o rebaixou para a categoria 2, com ventos entre 152 km/h e 176 km/h.

A Organização das Nações Unidas (ONU) informou nesta terça-feira, 3, que enviará ajuda emergencial às Bahamas, onde pelo menos 61.000 pessoas necessitam de alimentos e assistência médica por causa da passagem do furacão . A tempestade continua a golpear o arquipélago, onde provocou a morte de cinco pessoas, entre os quais o menino Lachino Mcintosh, de 7 anos. Várias pessoas foram resgatadas de correntezas.

O saldo exato da devastação nas Bahamas somente ficará claro depois de a tempestade passar, quando as equipes de resgate puderem chegar aos locais mais afetados, entre os quais a ilha de Ábaco, onde cinco pessoas morreram.

“Estamos no meio de uma tragédia histórica em partes do norte das Bahamas”, disse o primeiro-ministro das Bahamas, Hubert Minnis, na segunda-feira 2. “Nossa missão e foco agora são busca, resgate e recuperação”.

A rede de televisão CNN publicou a primeira imagem aérea da destruição nas Bahamas.

Membros da Guarda Costeira dos Estados Unidos estão em Ábaco e já resgataram feridos. Pessoas com ferimentos graves foram levadas a hospitais de New Providence, a ilha mais populosa do país, onde está a capital do país, Nassau. O aeroporto internacional Freedom está submerso, como registrou o parlamentar Iram Lewis, das Bahamas.

Continua após a publicidade

Até o momento, há registro de 13.000 residências destruídas ou seriamente danificadas, segundo a Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho. Casas de um bairro de Freeport, na Grande Bahama, foram engolidas por 1,8 metro de água.

“Parece que são barcos acima da água”, disse Rosa Knowles-Bain, de 61 anos, que fugiu dois dias atrás para um abrigo de emergência.

Cenas de inundação no segundo andar de uma casa no norte das Bahamas foram registradas e transmitidas pela rede de televisão americana FoxNews.

 

Flórida

Homem cobre vitrine com madeira para protegê-la do furacão Dorian em Cocoa, Flórida – 01/09/2019 Marco Bello/Reuters

O estado prepara-se para a chegada de Dorian na noite desta terça-feira. O furacão assolará o nordeste da Flórida e seguirá na direção da costa da Geórgia, Carolina do Sul e Carolina do Norte, segundo o NHC. Meteorologistas alertaram os moradores da Flórida a não serem complacentes, já que agora se prevê que a tempestade se manterá longe da costa.

“Não está tão longe assim da costa”, disse Robbie Berg, meteorologista e especialista em furacões do NHC. “Tudo o que Dorian tem afazer é andar um pouquinho para o oeste, e você tem um furacão completo atravessando a Flórida. Ninguém está livre de perigo”, explicou.

Nove condados da Flórida emitiram ordens de retirada dos moradores, incluindo partes do condado de Duval, que abriga Jacksonville, uma das duas maiores cidades da Flórida, e partes do condado de Palm Beach, que abriga a estância Mar-a-Lago do presidente Donald Trump.

O governador da Flórida, Ron DeSantis, exortou os moradores do litoral a obedecerem às ordens de retirada.  Na tarde de quarta-feira, virará para o norte e atingirá a Geórgia e a Carolina do Sul. Na Carolina do Norte, onde o fenômeno meteorológico deve chegar na noite de quinta-feira, existe a possibilidade de tocar a terra, de acordo com esse padrão de trajetória.

(Com Reuters e EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade