Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Eleitores de Trump alertam para revolta se Hillary ganhar

Segundo o 'New York Times', os eleitores do magnata acreditam que o processo eleitoral americano pode ser fraudulento

Por Da redação Atualizado em 27 out 2016, 15h07 - Publicado em 27 out 2016, 14h56

Um novo sentimento de temor vem tomando conta dos mais fanáticos eleitores do candidato republicano Donald Trump. À medida que o dia da eleição se aproxima e as pesquisas indicam uma cada vez mais provável vitória de Hillary Clinton, muitos acreditam que serão esquecidos pelo novo governo, enquanto outros creem que os Estados Unidos estão sendo impulsionados para um conflito violento, uma “guerra civil revolucionária” causada pelas rupturas já deixadas pela eleição.

Uma série de entrevistas realizadas pelo jornal New York Times em eventos da campanha de Trump revelou uma perceptível mudança de humor entre os eleitores do republicano em relação ao início deste ano. Nas conversas realizadas durante a última semana, em seis estados americanos, ficou claro que os mais fanáticos apoiadores do magnata “estão prontos para atacar” em caso de uma derrota.

Jared Halbrook, de Green Bay, no Estado de Wisconsin, afirmou ao Times que teme uma vitória de Clinton em uma eleição roubada e que esse cenário poderia levar a “outra guerra revolucionária”. “As pessoas vão marchar em frente aos prédios do governo”, disse o jovem de 25 anos. “Eles vão fazer o que for preciso para tirá-la do cargo, porque aquilo não pertence a ela.”

Enquanto alguns eleitores discordam e protestam enfaticamente contra as pesquisas que apontam uma vitória de Clinton, outros expõem uma visão apocalíptica do país comandado pela democrata. “Não é o que eu vou fazer, mas eu tenho medo de que o país entre em uma revolução”, afirmou Roger Pillath, 75, de Coleman, Wisconsin. “Eu nunca vi o país tão dividido.”

Segundo o New York Times, muitos americanos temem que sua situação econômica piore com a manutenção de um governo democrata. A diminuição da renda mensal e as dificuldades enfrentadas por pequenos e grandes negócios são algumas das principais queixas dos eleitores que enxergam no governo Trump uma possibilidade de mudança.

A grande maioria dos entrevistados em comícios do magnata nos Estados do Colorado, Flórida, Carolina do Norte, Ohio, Pensilvânia e Wisconsin também reproduz o discurso de Trump de que as pesquisas sobre as eleições não refletem a realidade do país e que ele será eleito com facilidade no dia 8 de novembro. Essa visão também é reforçada pelos meios de comunicação simpatizantes de Trump, que levaram muitos a acreditar que uma vitória de Hillary é algo totalmente impossível e que um cenário como esse só poderia ser reflexo de uma eleição fraudulenta.

Continua após a publicidade

Publicidade