Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Eleições na Colômbia: Uribe retorna e ameaça acordo com as Farc

Iván Duque, candidato de Uribe, larga com vantagem para a disputa presidencial de 27 de maio

Por Duda Teixeira Atualizado em 11 mar 2018, 23h48 - Publicado em 11 mar 2018, 23h32

O ex-presidente Álvaro Uribe, principal rival do atual presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, e do acordo de paz com os terroristas das Farc, colecionou diversas vitórias na eleição legislativa deste domingo, 11 de março.

Em primeiro lugar, Uribe conquistou uma boa liderança no próximo Senado. Com mais de 700 000 votos, ele já está sendo considerado o senador mais bem votado da história do país.

Seu partido, o Centro Democrático, provavelmente conseguirá formar maioria no próximo Parlamento aliando-se com outras legendas de centro-direita.

Por fim, o senador Iván Duque, que considera Uribe seu mentor, ganhou 67% dos votos entre os que optaram pela lista da direita (na Colômbia, as eleições legislativas servem também para definir quem será o candidato único de cada partido).

Duque teve quase 4 milhões de votos, foi ungido o candidato do Centro Democrático e largará com folga para disputar a eleição presidencial em 27 de maio. O segundo nome mais querido, de Gustavo Petro, da lista da esquerda, teve 2,8 milhões de votos.

Com o resultado, Uribe e seus colegas podem atrapalhar a implementação do acordo de paz assinado entre o presidente Juan Manuel Santos e os terroristas das Farc em setembro de 2016. O acerto já tinha sido rejeitado pela população colombiana em um referendo popular no mês seguinte. Na época, Duque foi um dos principais críticos das negociações que aconteceram em Havana, Cuba.

Continua após a publicidade

Pelo acordo, os membros das Farc entregaram as armas e fundaram um novo partido, a Força Alternativa Revolucionária do Comum. Eles terão garantidos dez lugares no próximo Congresso, não importando o número de votos obtidos. Na campanha para as legislativas, a Farc teve de tirar seus candidatos das ruas tamanha foi a hostilidade em relação a eles.

Alguns pontos do acordo já começaram a ser implementados, como a substituição do cultivo de coca, matéria-prima da cocaína, por outros produtos agrícolas. No campo, organizações internacionais e policiais iniciaram a retirada de minas terrestres.

Outros pontos do acordo, contudo, não evoluíram e correm o risco de caírem no limbo. Um deles é a reforma agrária, que a as Farc — apesar de serem uma das maiores proprietárias de terra do país — exigiram constar no acordo. Outro ponto é a formação de uma justiça provisória que deveria julgar os crimes cometidos pelos terroristas. A falta de uma base legal fez com que muitos duvidassem de que a Justiça seria feita.

Para Duque, que hoje está melhor posicionado para ser o novo presidente, é essencial que os terroristas paguem pelos crimes contra a humanidade que eles cometeram.

Se vencer o pleito, o advogado Iván Duque, de 42 anos, poderá ser o presidente mais novo da Colômbia.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)