Clique e assine a partir de 8,90/mês

Egito condena 78 adolescentes por protestarem contra governo

Garotos de 13 a 17 anos haviam participado de manifestações organizadas pelo grupo fundamentalista Irmandade Muçulmana

Por Da Redação - 26 nov 2014, 17h06

A Justiça egípcia condenou 78 adolescentes com idades entre 13 e 17 anos a penas de dois a cinco anos de prisão por participarem de protestos contra o governo de Abdel Fattah Sisi. Eles haviam sido detidos durante manifestações organizadas pelo grupo fundamentalista Irmandade Muçulmana, ao qual pertencia Mohamed Mursi, presidente deposto em um golpe liderado por Sisi. Uma Corte de Alexandria decidiu ontem que os garotos “bloquearam estradas e o transportes e aterrorizaram os cidadãos” ao “clamar pela queda do regime”, segundo informações da agência de notícias Mena.

Leia também:

Egito reabre temporariamente fronteira com Gaza

Egito coloca instalações civis sob jurisdição militar

Centenas de jornalistas protestam contra censura no Egito

O governo egípcio classificou a Irmandade de “grupo terrorista” em dezembro do ano passado. As autoridades também proibiram a realização de protestos sem o aval de oficiais. Desde a queda de Mursi, milhares de apoiadores e também lideranças do grupo foram presos e condenados em julgamentos em massa. Aproximadamente 200 pessoas foram condenadas à morte, punição que pode ser aplicada também ao próprio Mursi, que responde a diversas acusações. Nas audiências, ele repete o que seus apoiadores defendem: o não reconhecimento do governo militar e a afirmação de que ele ainda é o presidente do país.

Continua após a publicidade
Publicidade