Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Egípcios retomam histórica votação para presidente

Para estimular comparecimento de funcionários públicos, foi decretado feriado

Os locais de votação reabriram as portas nesta quinta-feira para o segundo e último dia do primeiro turno da histórica eleição presidencial no Egito, a primeira desde a queda do ditador Hosni Mubarak em fevereiro 2011. As zonas eleitorais abriram às 8 horas (3 horas em Brasília) e a votação deve prosseguir até as 20 horas locais. No caso de longas filas, o horário pode ser ampliado, o que já aconteceu no primeiro dia da votação.

Entenda o caso

  1. • Na onda da Primavera Árabe, que teve início na Tunísia, egípcios iniciaram, em janeiro, sua série de protestos exigindo a saída do então presidente Hosni Mubarak.
  2. • Durante as manifestações, mais de 800 rebeldes morreram em choques com as forças de segurança de Mubarak que, junto a seus filhos, é acusado de abuso de poder e de premeditar essas mortes.
  3. • Após 18 dias de levante popular, em 11 de fevereiro, o ditador cede à pressão e renuncia ao cargo, deixando Cairo; em seu lugar assumiu a Junta Militar.

Leia mais no Tema ‘Revolta no Egito’

Para estimular o comparecimento dos funcionários públicos, o governo decretou feriado nesta quinta. A eleição democrática ocorre depois de décadas de pleitos de fachada, vencidos pelo partido governista de maneira antecipada. A comissão eleitoral não divulgou dados sobre a taxa de participação na quarta-feira, mas o governo destacou um “grande comparecimento”.

Leia também:

Leia também: Jovens lutam para reformar a Irmandade Muçulmana

O resultado das urnas é vital para a orientação do país mais populoso do mundo árabe, com 82 milhões de habitantes, que aparenta estar dividido entre a tendência islamita, cuja maior força é a Irmandade Muçulmana, e paradoxais personalidade da era Mubarak.

Os principais candidatos são o representante da Irmandade, Mohamed Mursi, o islamita independente Abdel Moneim Abul Futuh, o último primeiro-ministro de Mubarak, Ahmed Shafiq, o ex-ministro das Relações Exteriores e ex-secretário-geral da Liga Árabe Amr Moussa e o nacionalista árabe Hamdin Sabahi.

Mais de 50 milhões de egípcios estão registrados para votar. Os resultados do primeiro turno devem ser anunciados em 27 de maio. Caso nenhum candidato consiga maioria absoluta, o que é bastante provável segundo as pesquisas, o segundo turno acontecerá nos dias 16 e 17 de junho.

(Com agência France-Presse)