Clique e assine a partir de 8,90/mês

Editorial do ‘The New York Times’ defende jornalista Glenn Greenwald

Para publicação, atacá-lo é uma 'perigosa ameaça ao Estado de Direito'

Por Giovanna Romano - Atualizado em 22 jan 2020, 11h43 - Publicado em 22 jan 2020, 11h08

O editorial do jornal americano The New York Times defendeu o jornalista Glenn Greenwald e repudiou a denúncia contra ele feita pelo Ministério Público Federal (MPF). Para a publicação, atacá-lo é uma “perigosa ameaça ao Estado de Direito”.

Greenwald, editor do site The Intercept Brasil, foi denunciado na terça-feira 21 pelo MPF em Brasília na Operação Spoofing, que investiga a atuação de hackers nas invasões de aplicativos de mensagens de autoridades da República.

“A denúncia do governo brasileiro contra o jornalista americano Gleen Greenwald é um caso cada vez mais familiar de atirar no mensageiro e ignorar a mensagem”, escreveu o Times no editorial desta terça.

O jornalista foi responsável por revelar o escândalo da chamada Vaza Jato ao publicar uma série de reportagens com os diálogos entregues a ele por um grupo de hackers. As mensagens revelaram diálogos entre procuradores e o ex-juiz Sergio Moro, durante a condução das investigações e julgamentos da Operação Lava Jato.

“Os artigos de Greenwald fizeram o que uma imprensa livre deveria fazer: revelaram uma verdade dolorosa sobre os que estão no poder. Furar a imagem heroica de Moro foi obviamente um choque para os brasileiros e prejudicial para Bolsonaro”, escreveu o New York Times.

Para o jornal, exigir que os defensores da lei sejam “escrupulosos” em sua adesão a ela é “essencial para a democracia”. “Atacar os portadores dessa mensagem é um desserviço sério e uma ameaça perigosa ao Estado de Direito”, concluiu o editorial.

Sem ter sido investigado, Greenwald poderá responder pelos crimes de associação criminosa, interceptação telefônica e invasão de dispositivo informático alheio.

Continua após a publicidade
Publicidade