Clique e assine a partir de 8,90/mês

E depois de mais de 16 anos, imprensa livre volta ao Parlamento venezuelano

Apesar do clima tenso nas ruas, com manifestações contra e a favor do governo de Nicolás Maduro, o ambiente dentro da Assembleia Nacional é de tranquilidade

Por Da Redação - Atualizado em 31 jul 2020, 07h51 - Publicado em 5 jan 2016, 13h28

A foto é emblemática e muito significativa para a mudança que está em curso na política venezuelana: depois de mais de dezesseis anos afastada da Assembleia Nacional, a imprensa livre voltou nesta terça-feira a cobrir o trabalho dos parlamentares e até mesmo a antes vetada rede americana CNN en Español está transmitindo ao vivo de dentro do salão principal. A imagem foi publicada no Twitter do fotojornalista independente Christopher Abreu, que está trabalhando na cobertura da posse dos novos deputados. Sob o jugo chavista, somente “jornalistas” de veículos estatais podiam acompanhar as sessões.

Apesar do clima tenso nas ruas, com manifestações contra e a favor do governo de Nicolás Maduro, o ambiente dentro da Assembleia Nacional é de tranquilidade. Apesar de estarem com trajes formais, como manda o protocolo, muitos dos deputados opositores eleitos estão com o boné com as cores da bandeira venezuelana – um dos símbolos da luta contra as forças chavistas.

Leia também

Parlamento da Venezuela já não tem mais a foto de Chávez

Oposição venezuelana diz que militares garantirão posse do novo Parlamento

Funcionários denunciam desmonte da emissora de TV do Parlamento venezuelano

Protestos – Grupos defensores do chavismo – a claque contratada por Maduro – e da oposição começaram a se reunir no centro de Caracas para acompanhar a posse dos deputados escolhidos nas eleições legislativas de 6 de dezembro. Dezenas de soldados da polícia e da Guarda Nacional Bolivariana (GNB) cercaram a sede do Legislativo e monitoram os grupos para que eles não se encontrem, já prevendo acidentes.

Os deputados eleitos tomam posse hoje, marcando o fim da hegemonia parlamentar chavista dos últimos quase dezessete anos, depois de a oposição ter obtido em 6 de dezembro uma maioria de 112 deputados frente às 55 cadeiras que serão do governo. O juramento para os próximos cinco anos de legislatura será um ato emoldurado por um clima de tensão. Pressionado pela população contrária ao seu governo e pela derrota acachapante nas urnas, Maduro disse nesta segunda ter dado ordens aos agentes de segurança para que garantam a instalação pacífica do Legislativo.

O deputado eleito Henry Ramos Allup, um de seus mais combativos opositores, será o novo presidente da AN. Ramos Allup disse confiar que a Força Armada Nacional Bolivariana (FANB) vai manter a ordem em uma jornada em que garantiu que pretendem juramentar os 112 deputados opositores e não acatar a decisão do Tribunal Supremo de Justiça (TSJ), que aceitou impugnações devido a uma suposta fraude no estado do Amazonas, no sul do país. O TSJ suspendeu a eleição no Estado, o que deixou a oposição com 109 deputados e o chavismo com 54.

Vídeo: O clima dentro da Assembleia Nacional, feito pelo deputado opositor Miguel Pizarro

https://www.youtube.com/watch?v=foQJ7v79ydo

(Da redação)

Continua após a publicidade
Publicidade