Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

E a Dinamarca precisou de uma lei específica para coibir o sexo com animais…

Segundo ativistas, brechas na legislação estariam incentivando certo turismo do bestialismo

A Dinamarca aprovou uma lei nesta terça-feira que veda toda forma de bestialismo. A medida foi tomada após ativistas protestarem contra brechas na legislação que estariam incentivando certo turismo sexual com animais. Até agora, o código penal dinamarquês só previa punições para atos sexuais que ferissem os animais.

A mudança na lei foi encampada há alguns meses pelo ministro da Agricultura e Alimentação, Dan Jorgensen, seguindo o exemplo de outros países do norte da Europa, como Alemanha, Suécia e Noruega, que também proibiram a prática recentemente. “Decidimos proibir o bestialismo por vários motivos. O principal é que, na maioria dos casos, trata-se de uma agressão ao animal. E, em qualquer caso de dúvida, os animais devem ser protegidos”, declarou o ministro.

Leia também:

Vídeo: zebras escapam de rancho e são perseguidas pela polícia na Bélgica

Após caçada, autoridades francesas descobrem que tigre era um gato inofensivo

Os políticos que votaram a favor do projeto de lei disseram que a Dinamarca não queria ser o último país do norte da Europa onde o bestialismo fosse permitido. “Há relatos frequentes de shows de sexo com animais organizados em clubes e bordéis na Dinamarca”, afirmou o Conselho de Ética para Animais, em um relatório.

Brasil – O Brasil não tem uma legislação específica contra o bestialismo. Atos dessa natureza podem ser enquadrados como maus tratos aos animais, cuja pena varia de três meses a um ano de prisão, mais multa. Um projeto de lei de autoria do deputado Ricardo Izar (PSD-SP), que estipula a criminalização da prática, está parado na Câmara.

(Da redação)