Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Donald Trump vem aí. E agora?

"Ele precisa construir um muro ou uma cerca. E vai ter de fazer isso quase de imediato”, disse Newt Gingrich, assessor do presidente eleito

O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, toma posse no dia 20 de janeiro, mas os americanos já começam a especular sobre as primeiras ações do novo governo. Sua equipe está organizando o chamado “Projeto Primeiro Dia”, com ações que Trump deve tomar nas primeiras horas de seu mandato frente à nação mais poderosa do mundo. “Trump passará horas assinando documentos e apagando a Presidência de Obama”, declarou Stephen Moore, assessor do presidente eleito, à revista New Yorker.

“Queremos identificar talvez 25 decretos presidenciais que Trump poderia assinar em seu primeiro dia de governo”. A equipe de Trump está analisando várias opções, mas há algumas cartas na mesa que podem ser consideradas apostas fortes para o primeiro dia na Casa Branca. Com uma canetada, Trump pode renunciar ao Acordo de Paris que tenta limitar a emissão de gases de efeito estufa. Ele também pode retomar a construção do oleoduto Keystone, vetado por seu antecessor Barack Obama. Pode ainda descontinuar outra ação de Obama e vitrine dos democratas: o programa para refugiados sírios. Há ainda a possibilidade de orientar o Departamento de Comércio a peitar de frente práticas comerciais chinesas.

O muro — Tais medidas, no entanto, são todas secundárias. Analistas apostam — e o próprio Trump já disse isso — que sua primeira e mais impactante medida será algo relacionado à imigração ilegal e ao seu projeto de construir o criticado muro na fronteira dos EUA com o México. “Quem quer que tenha entrado ilegalmente no país está sujeito a deportação”, disse ele em Phoenix, em agosto, sobre suas ações “nas primeiras horas” depois de assumir a presidência.

Leia também
Os desafios de Trump e seu secretário de Estado
Donald Trump: presidente ou CEO? 
Trump diz que vai deportar até 3 milhões de imigrantes ilegais

Durante a campanha, Trump enfatizou tanto a proposta do muro que muitos de seus eleitores se sentirão traídos se ele não levar o projeto adiante. “Ele precisa construir um muro ou uma cerca. E vai ter de fazer isso quase de imediato”, disse Newt Gingrich, ex-presidente da Câmara e assessor do presidente eleito. As estimativas para a construção do muro de mais de 1.600 quilômetros de extensão variam de 25 a até mais 100 bilhões de dólares (de 82,2 a 329 bilhões de reais). A vontade de Trump de fazer o México pagar pela construção do muro é evidentemente apenas uma bravata, inviável no mundo real.

Por isso, dentre as existentes, a opção menos custosa é uma estrutura de aço e de painéis pré-moldados de concreto de uma altura entre 10 e 15 metros, e com uma profundidade suficiente para evitar a construção de túneis. “Não existe escada que supere isso”, disse Trump durante a campanha, em um comentário algo ingênuo. O muro completo, porém, dificilmente sairá do papel. Além de muito impopular — mesmo entre os republicanos —, o projeto é muito caro e de eficácia contestada. Sairia mais barato e seria mais efetivo investir em patrulhas fronteiriças, ou fomentar o desenvolvimento do norte do México para criar empregos por lá e evitar as imigrações ilegais. Há quem diga que o muro de Trump vai ser reduzido a uma pequena e simbólica extensão da cerca já existente na fronteira, financiada pelo governo federal em 2006, com o apoio de 26 senadores democratas, entre eles a então senadora pelo Estado de Nova York, Hillary Clinton — amarga ironia.

Leia mais 
Vídeo: 7 momentos constrangedores de Trump, o presidente eleito 
Trump terá maioria no Congresso — mas não deve ter vida fácil

As principais propostas de Donald Trump

Economia
Ao contrário de Clinton, o plano de impostos de Trump reduz tarifas para a toda a população, inclusive para os mais ricos. O republicano também promete cortar os impostos corporativos de 35% para 15%. “Meu corte de impostos será o maior desde Ronald Reagan e tenho muito orgulho disso”

Emprego
Seu plano para diminuir o desemprego está diretamente ligado ao corte de impostos, fator que define como principal para criar postos de trabalho. Não pretende aumentar o salário mínimo e defende que os Estados tenham liberdade para o fazer, se assim desejarem. Sobre a licença maternidade, apoia a ausência paga de seis semanas apenas para mães. “Vou ser o maior presidente criador de empregos que Deus já fez. Vou trazer os nossos empregos e o nosso dinheiro de volta”

Comércio
Com políticas protecionistas, Trump se opõe a acordos internacionais de livre comércio, como o Tratado Transpacífico (TTP), e quer renegociar o Tratado Americano de Livre Comércio (NAFTA). Também promete uma “guerra econômica” contra a China, país que acusa de realizar “comércio desleal” contra os EUA e manipular sua moeda. Por isso, planeja maiores tarifas em importações de serviços e bens do gigante asiático. ”Quando Donald Trump for presidente, a China irá notar que a América está de volta na liderança dos negócios globais e que seus anos de manipulação e trapaça acabaram”

Política externa
Trump quer uma relação mais próxima com a Rússia e já elogiou o presidente Vladimir Putin, razão para críticas dos democratas. Inclusive, discorda que o país esteja envolvido no vazmanto de e-mails democratas. Também considera repensar o papel na OTAN, que acredita estar “custando caro” para os EUA, e pretende renegociar o acordo nuclear com o Irã. O republicano concorda com o fim do embargo à Cuba, mas diz que Obama deveria ter negociado um acordo melhor. “Eu acredito que um alívio das tensões e melhoria nas relações com a Rússia é absolutamente possível. Alguns dizem que os russos não serão coerentes. Pretendo descobrir”

Síria e o Estado Islâmico
Trump propõe maiores gastos com o exército e insiste que não irá mostrar um plano detalhado de combate ao EI, pois isso entregaria o ‘elemento surpresa’ de sua estratégia aos extremistas. Entre os poucos planos divulgados está bombardear postos de petróleo controlados pelo grupo e trabalhar em uma estratégia conjunta com outros países, inclusive a Rússia. Também é contrário a receber um número maior de refugiados nos EUA, uma proposta de Hillary. “O crescimento do EI é resultado direto de decisões políticas feitas pelo presidente Obama e a secretária Clinton”

Imigração
A principal proposta de Trump é a construção de um muro na fronteira com o México, pago pelo país vizinho. Também promete uma força-tarefa para expulsar os imigrantes ilegais do país, priorizando a retirada de pelo menos 5 milhões dos 11 milhões que vivem nos EUA. Planeja ainda suspender a imigração de áreas do mundo onde há um histórico comprovado de terrorismo. “Quando o México manda suas pessoas, não estão mandando o seu melhor. Enviam gente que tem muitos problemas e que trazem isso com eles. Eles estão trazendo drogas, crime, são estupradores”

Controle de armas
Menos restrições no porte de armas e maior rapidez no processo de aquisição. Também é contrário a banir armas automáticas e quer abolir áreas livres de armamento, como escolas e bases militares. Trump é, inclusive, apoiado pela NRA (Associação Nacional de Rifles), a mais importante organização de defensores da Segunda Emenda. “Eu vou colocar os criminosos atrás das grades e garantir que cidadãos que obedecem às leis tenham direito a autodefesa”

Saúde
Quer banir o Obamacare e trazer uma nova solução para o sistema de saúde, focada no princípio do livre comércio das empresas de seguros privadas. Segundo Trump, isso permite maior competição, qualidade e preços menores. “No primeiro dia da administração Trump, pediremos ao Congresso uma revogação completa do Obamacare”

Aborto
Defende que o aborto deve ser ilegal (exceto em caso de estupro, incesto ou quando a vida da mulher está em perigo) e que as mulheres devem ser punidas pelo ato. Abertamente, apontou juízes para a Suprema Corte que seguem essa linha de pensamento. “Eu sou pró-vida. Originalmente, eu era a favor da escolha, mas evoluí”

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Para aqueles que nao sabem o Trump ja esta pedindo autorizacao do Departamento de Trabalho para empregar imigrantes para os seus vinhedos. Nao e brincadeira. Li essa noticia no Washington Post essa semana. Quero ver quem vai colher suas uvas. E tambem quem vai arrancar as batatas, cebolas e colher os cereais, frutas, vegetais, etc. Se alguem em sa consciencia pensa que americano vai fazer isso. Forget about.

    Curtir

  2. Fernanda Fernandes

    Espertos, não se deixaram levar pela Mídia. Espero q para 2018 o brasileiro vote mais ou menos assim é elejamos o Bolsonaro!

    Curtir

  3. Fábio Luís Inaimo

    Boçalnaro e boçalnalhas não elegem nem prefeito!! Se liga mané !!!

    Curtir

  4. Fábio Luís Inaimo

    Então “isxperrrto” é quem se deixou levar pela lorota do se dizente salvador da pátria Boçalnaro ?!

    Curtir

  5. Fábio Luís Inaimo

    Então é isso que está por traz do sectarismo brasuca a TrumPT !! Boçalnalhas !!!

    Curtir

  6. Fábio Luís Inaimo

    É muita burrice mesmo !

    Curtir

  7. Eleonora Saramago

    como é ativo e nervosinho o Fabinho
    deu nervoso pq nenên ?

    Curtir

  8. Eleonora Saramago

    como é ativo e nervosinho o Fabinho
    deu nervoso pq nenên ? o

    Curtir

  9. Luis Carlos Zardo

    Todo monstro desumano se diz “pro-vida”.

    Curtir

  10. horanrolim@hotmail.com

    A única certeza da vida é a morte, fazer previsões sobre o futuro? deixem o homem governar para depois criticar, o resto é choradeira da esquerda.

    Curtir