Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Dois policiais são mortos dentro de viatura em Nova York

Segundo autoridades americanas, o suspeito foi perseguido e cometeu suicídio. Antes, ele publicou mensagens em rede social mencionando a possibilidade de cometer o crime

Por Da Redação 21 dez 2014, 09h21

Dois agentes do Departamento de Polícia de Nova York (NYPD, na sigla em inglês) foram mortos a tiros na tarde deste sábado por um homem que atacou o carro de patrulha em que se encontravam, no bairro do Brooklyn. Segundo as autoridades americanas, o suspeito cometeu suicídio com a mesma arma.

“Eles foram simplesmente assassinados, tomados como alvo porque estavam de uniforme”, afirmou o comissário de polícia William Bratton durante coletiva de imprensa no Woodhull Medical Center, no sábado à noite.

Os policiais Rafael Ramos e Wenjian Liu
Os policiais Rafael Ramos e Wenjian Liu VEJA

De acordo com Bratton, os policiais Rafael Ramos e Wenjian Liu faziam patrulha de uma área do Brooklyn onde havia sido registrado aumento nos índices de violência quando o possível agressor, Ismaaiyl Brinsley, de 28 anos, caminhou até a janela do lado do passageiro e disparou contra as vítimas. Os policiais não atiraram de volta, segundo Bratton.

Leia também:

Quando os fatos não têm vez

Continua após a publicidade

Por que o policial de Ferguson não foi indiciado

Protestos por morte de negro se espalham pelos EUA

As autoridades ainda informaram que Brinsley foi perseguido por outros policiais até a plataforma de uma estação de metrô das proximidades, onde cometeu suicídio. Antes disso, na manhã de sábado na cidade de Baltimore, o agressor supostamente baleou uma mulher que teria sido sua ex-namorada.

De acordo com William Bratton, a polícia está investigando mensagens publicadas em redes sociais. Brinsley publicou a foto de uma pistola e uma mensagem no Instagram horas antes do ocorrido, segundo a polícia. Na mensagem, ele mencionou a possibilidade de matar policiais em retaliação pelos casos de Eric Garner e Michael Brown, dois homens negros desarmados que recentemente morreram em confrontos com policiais. As mortes de Garner e Brown causaram revolta entre a população americana, que foi às ruas protestar contra o não indiciamento dos policiais envolvidos no caso.

Na noite de sábado, o presidente americano Barack Obama condenou o ataque, afirmando que os policias que servem à comunidade “merecem o nosso respeito e gratidão todos os dias”. “Nesta noite, eu peço às pessoas que rejeitem a violência e palavras que ferem, e as transformem em palavras que curam: orações, diálogos e solidariedade com família e amigos daqueles que morreram.”

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Publicidade