Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Dois policiais são feridos durante a posse de Enrico Letta

O autor dos disparos já foi preso e um dos policiais está em estado grave; crime ocorreu a um quilômetro do palácio do governo

Por Da Redação - 28 abr 2013, 08h49

Dois policiais foram feridos na manhã deste domingo, em Roma, durante a posse do novo chefe de governo italiano, Enrico Letta. Por volta das 11h40 (06h40 no horário de Brasília), um homem abriu fogo em frente à sede do governo italiano. Um dos policiais atingidos está em estado grave, segundo a agência Reuters.

O autor dos disparos já foi preso e um dos policiais está em estado grave, de acordo com a agência Reuters. Os tiros foram disparados em frente ao Palácio Chigi, que funciona como sede do governo e fica a cerca de um quilômetro de distância do Palácio do Quirinal, onde Letta tomava posse.

Segundo o jornal italiano “Corriere della Sera”, uma mulher também foi ferida durante os disparos. O jornal cita que o autor dos tiros é Luigi Preiti, mas a polícia ainda não informou as razões para o atentado.

Posse de Letta – Enrico Letta, do Partido Democrata (PD), assumiu neste domingo seu cargo perante o presidente da República, Giorgio Napolitano.

Publicidade

Letta, que até então era vice-secretário do partido, assumiu seu posto como novo primeiro-ministro da Itália, antes de comparecer ao Parlamento, onde deverá pedir a confiança de ambas as câmaras para seu Governo de coalizão, o que se espera que aconteça a partir de amanhã.

Após 72 horas de consultas com os partidos, Letta divulgou no sábado sua equipe de governo, na qual figuram tanto personalidades técnicas, como membros do PD, do conservador Povo da Liberdade (PDL), de Silvio Berlusconi, e do Escolha Cívica, do ex-primeiro-ministro Mario Monti.

A mistura de políticos de centro-direita e de centro-esquerda e os tecnocratas não afiliados foi amplamente acolhida pela grande imprensa da Itália. No entanto, os riscos políticos que Letta enfrenta foram enunciados no domingo por Silvio Berlusconi – aliado próximo do líder de centro-direita e um ator central no governo. A expectativa é que Letta defina os planos de seu governo no Parlamento na segunda-feira e, em seguida, terá de ganhar um voto de confiança para ser totalmente capacitado.

No entanto, neste domingo as atenções se voltaram para o tiroteio fora do Palazzo Chigi, a residência oficial do primeiro-ministro, com vários políticos alertando que o clima político febril pode ter contribuído para o episódio.

Publicidade