Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Do contra: Trump discorda de discursos do papa Francisco nos EUA

O magnata disse que já ganhou "muitos prêmios ambientais", mas não "acredita" em mudanças climáticas

Por Da Redação 24 set 2015, 11h30

O pré-candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta quinta-feira “respeitar” o papa Francisco, mas disse que não concorda com os assuntos propostos em seus discursos nos EUA até o momento. “Acho que suas palavras são belíssimas e eu respeito o papa. Gosto muito dele, mas também acho que o nosso país esteja enfrentando problemas graves ligados à imigração”, disse o magnata, em entrevista à CNN, sobre o fato de dizer aos norte-americanos que “não tenham medo de acolher os imigrantes”.

Em um dos seus discursos mais criticados, o bilionário classificou todos os mexicanos que chegam aos EUA de “assassinos, traficantes e estupradores” e tem como uma de suas propostas de governo a construção de um muro na fronteia com o México. Já sobre os apelos de Jorge Mario Bergoglio para que a geração atual cuide do planeta para que o problema “não fique para as gerações futuras”, Trump destacou “não acreditar na mudança climática”.

Leia também

Crise migratória e mudanças climáticas marcam visita do papa à Casa Branca

Novatos surpreendem veteranos e dominam primárias republicanas

EUA: Scott Walker é 2º republicano a abandonar corrida presidencial

“Acredito que o ar limpo seja um problema urgente e desejamos ter tanto o ar com a água limpa. O tema é muito importante para mim e já ganhei vários prêmios ambientais, mas não acredito na mudança climática”, destacou o pré-candidato. Para ele, não se pode “colocar em risco as empresas do nosso país” impondo vínculos ambientais que podem “comprometer postos de trabalho”.

As mudanças no clima são um dos temas mais caros ao papa, que fez sua primeira encíclica focada nos problemas ambientais, a Laudato Si (Louvado Seja). Além disso, o pontífice elogiou a postura do presidente Barack Obama em se comprometer a reduzir as emissões de gases que provocam o efeito estufa em recentes acordos internacionais.

(Com Ansa)

Continua após a publicidade
Publicidade