Clique e assine a partir de 9,90/mês

Distúrbios interrompem venda de iPhone 4S na Apple Store em Pequim

Por Str - 13 jan 2012, 10h11

A Apple anunciou a suspensão da venda do iPhone em suas lojas chinesas, onde devia ser lançado nesta sexta-feira, para “garantir a segurança de clientes e funcionários”, depois dos distúrbios registrados no dia de lançamento do último celular da marca nesse país.

“A demanda tem sido incrível e as reservas de nossas lojas na China se esgotaram”, segundo o comunicado publicado, que informa ainda que o iPhone 4S continua disponível pela internet e nas concessionárias autorizadas.

“Infelizmente, não pudemos abrir nossa loja de Sanlitun (em Pequim) por causa da multidão”, explicou a Apple.

Um porta-voz informou que a venda de todos os seus modelos de iPhone, e não apenas do 4S, foi suspensa em todas as Apple Stores da China, três em Xangai e duas em Pequim.

O sucesso dos smartphones dessa marca é tanto que distúrbios explodiram na sexta-feira diante da loja de Sanlitum, onde centenas pessoas esperaram em vão várias horas no frio para serem as primeiras a comprar o iPhone 4S.

“Esperamos aqui a noite toda. Isso não é justo”, declarou Tom Sun, de 18 anos. “Estamos furiosos porque esta empresa americana nos disse que abriria as portas às 07H00”, acrescentou.

Continua após a publicidade

“O iPhone 4S é o melhor de Steve Jobs, é por isso que quero um. Vou ficar muito aborrecido se não abrirem as portas”, declarou Li Tianye, de 29 anos, acrescentando que viajou durante dois dias para estar em Pequim por ocasião do lançamento.

Enfurecidos, os clientes chineses jogaram ovos contra a fachada da loja. A polícia tentou intervir e dispersar a multidão, mas não conseguiu impedir que os clientes agredissem um segurança da loja.

Algumas pessoas declararam ter pagado 100 iuanes (12,35 euros) a revendedores para ocupar seu lugar na fila de espera.

No entanto, enquanto a situação era caótica na Apple Store fechada, outros clientes compravam o último modelo do iPhone numa loja de produtos eletrônicos próxima por 50 euros a mais, ou seja, 5.388 iuanes (663 euros) ao invés dos 4.988 iuanes (614 euros) pelo modelo mais barato (16 giga).

A situação era mais tranquila em Xangai, onde a multidão também invadiu a loja da Apple.

Apesar de seu lançamento oficial na China continental acontecer oficialmente nesta sexta, o iPhone 4S já estava à venda no mercado negro desde outubro, importado ilegalmente de Hong Kong, Japão ou Estados Unidos.

Na China há mais de 500 milhões de internautas, 340 milhões dos quais têm acesso à web através do celular, de acordo com Gao Xinmin, da Sociedade Internet da China.

Continua após a publicidade
Publicidade