Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Dissidentes cubanos pedem solidariedade aos EUA em teleconferência

Por Adalberto Roque 7 jun 2012, 16h29

Vários dissidentes cubanos pediram solidariedade aos Estados Unidos nesta quinta-feira através de uma videoconferência exibida no Senado americano, onde os legisladores denunciaram uma escalada de repressão do regime centrista contra a oposição.

Os ex-presos políticos Sara Marta Fonseca e Jorge Luis García Pérez foram à Seção de Interesses americanos em Havana participar na teleconferência, junto com José Daniel Ferrer, que falou por telefone de algum lugar não informado em Cuba.

Mesmo agradecendo o apoio da administração americana, Ferrer denunciou a política do governo de Barack Obama que, segundo ele, por um lado aliviaram as restrições contra a ilha comunista, mas, por outro lado, fortaleceram o aparelho repressivo do governo cubano.

Ele também classificou como insulto os vistos concedidos por Washington a funcionários e intelectuais cubanos, como a filha do presidente Raúl Castro, a sexóloga Mariela Castro, para assistir a conferências nos Estados Unidos.

O senador democrata Robert Menendez, chefe da subcomissão para a América Latina do Senado, agradeceu a coragem dos dissidentes por seu testemunho.

Os legisladores recordaram que, segundo cifras divulgadas pelo Comitê contra a Tortura da ONU, no correr de 2012 foram realizadas mais de 2.400 detenções em Cuba, e um recente relatório de direitos humanos americano afirma que a repressão política aumentou.

Continua após a publicidade
Publicidade