Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Diretor de cinema acredita que filho matou seis nos EUA

Peter Rodger, um dos assistentes de direção em 'Jogos Vorazes', afirmou por meio de seu advogado de que o filho havia postado 'vídeos perturbadores' no Youtube dias antes do crime

Por Da Redação 24 Maio 2014, 19h32

Peter Rodger, um dos assistentes de direção da franquia Jogos Vorazes, acredita que seu filho, Elliot Rodger, de 22 anos, é o atirador que matou seis pessoas perto do campus da Universidade da Califórnia em Santa Bárbara, nos Estados Unidos. As autoridades, porém, ainda não confirmaram a identidade do assassino.

O acusado trocou tiros com policiais na sexta à noite antes de bater seu carro BMW preto em um veículo parado, disse o xerife do Condado de Santa Barbara, Bill Brown. As autoridades o encontraram morto com um ferimento de bala na cabeça, mas não ficou claro se ele foi morto pelos disparos ou se cometeu suicídio.

Segundo Alan Shifman, advogado que representa Peter Rodger, a família tem razões para culpar Elliot Rodger pelo crime. Há uma semana, os familiares haviam chamado a polícia após tomar conhecimento de vídeos com conteúdos relacionados a suicídio e assassinato postados no YouTube pelo jovem, disse o advogado.

O crime também deixou outros sete feridos, de acordo com autoridades neste sábado. O atirador fez os disparos de dentro de um carro, às 21h30 (horário local) em Isla Vista, uma comunidade próxima ao campus. Uma pistola semiautomática foi encontrada perto do campus da Universidade da Califórnia.

O jovem, cujo pai é um dos assistentes de direção do filme ‘Jogos Vorazes’, tinha postado um vídeo no dia anterior no qual anunciava que executaria sua ‘vingança contra a humanidade’.

Vídeo – No vídeo, que as autoridades ainda estão investigando, o jovem Elliot Rodger, sentado no interior de um carro preto, confessa que nos últimos oito anos se viu confinado a uma situação de ‘solidão, rejeição e desejos insatisfeitos’ porque as mulheres nunca se sentiram atraídas por ele.

‘As mulheres dão seu afeto, seu sexo e seu amor a outros homens, mas nunca a mim. Tenho 22 anos e ainda sou virgem, nem sequer beijei uma menina. Fui à universidade durante dois anos e meio, na verdade um pouco mais. E ainda sou virgem’, relata na gravação.

(Com agências EFE e Associated Press)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês