Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Diplomata amigo de Olavo Carvalho é promovido a embaixador por Araújo

Ascensão é considerada etapa final para a designação de Nestor Forster como embaixador do Brasil em Washington

Responsável por apresentar Ernesto Araújo ao guro da extrema-direita Olavo de Carvalho, o diplomata Nestor Forster foi promovido a embaixador nesta quarta-feira 12, por decisão do próprio chanceler e com o aval do presidente Jair Bolsonaro. Desde janeiro, o diplomata tem sido mencionado como um dos mais cotados para assumir a Embaixada do Brasil nos Estados Unidos.

A promoção de Forster é considerada a etapa final para sua nomeação para Washington. Como ministro de segunda classe, seu nível da carreira até a quarta-feira, não teria como assumir o posto, que está entre os mais importantes do Brasil no exterior. A cadeira de embaixador nos Estados Unidos está vaga desde o último dia 3, quando o diplomata Sérgio Amaral voltou ao Brasil.

Se for convidado a assumir a embaixada em Washington, Forster ainda deverá passar por sabatina na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado e ter seu nome aprovado pelo plenário. esta será a primeira vez, desde a redemocratização do Brasil, que o Itamaraty envia a Washington um embaixador recém-promovido, fato que poderá ser interpretado como sinal de redução da importância do posto em Brasília. Sua proximidade com Araújo e os Bolsonaros, porém, poderá mudar essa percepção.

Amigo e seguidor das ideias de Olavo de Carvalho, Foster foi o articulador do encontro do guru com o Araújo, então ministro-conselheiro da embaixada do Brasil em Washington, na casa do escritor, em Virgínia, nos Estados Unidos. Araújo confirmou a adesão ao ideário de Carvalho em textos publicados a partir do final de 2017.

 

Forster também teve papel central na articulação da agenda da visita de Bolsonaro em Washington, em março, quando o brasileiro se reuniu com o presidente Donald Trump, na Casa Branca.

Ele ajudou a organizar, por exemplo, o encontro de Bolsonaro com pensadores conservadores e de direita, entre os quais o ex-assessor de Trump Steve Bannon. A convite do presidente, Foster participou do jantar e sentou-se ao lado do deputado Eduardo Bolsonaro, um dos articuladores de política externa do governo.

Após a visita presidencial, o nome de Forster como futuro embaixador do país nos Estados Unidos ganhou ainda mais força. Ele faz parte do quadro de diplomatas da embaixada brasileira na capital dos Estados Unidos. Atualmente, é um dos ministros-conselheiros da embaixada, cargo logo abaixo do posto principal, e responsável por questões administrativas, migratórias e de diplomacia pública – como as relações com sociedade civil.

A proximidade com o governo Bolsonaro fez com que Forster participasse de reuniões dos integrantes do governo em Washington. Na última passagem de Araújo pela capital americana, o diplomata acompanhou o chanceler nas suas reuniões com o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, e com o assessor de Segurança Nacional, John Bolton.

A lista das promoções de diplomatas circulou hoje no Itamaraty e será publicada no Diário Oficial nos próximos dias. Outros seis ministros de segunda classe também foram promovidos a embaixadores – todos a serviço direto do governo, em Brasília. Entre ele, o chefe de gabinete de Araújo, Pedro Gustavo Ventura Wollny, e a secretária de Comunicação e Cultura do Itamaraty, Márcia Donner Abreu, que foi colega do atual chanceler na embaixada em Washington.

Também estão na lista do Ministério de Relações Exteriores Paulo Pacheco, chefe do Departamento de Imigração e Assuntos Jurídicos; Kenneth Félix Haczynski da Nóbrega, secretário de Negociações Bilaterais no Oriente Médio, Europa e África; Fabio Mendes Marzano, secretário de Assuntos de Soberania Nacional e Cidadania; e Juliano Féres Nascimento, chefe da Assessoria Internacional do vice-presidente Hamilton Mourão.

(Com Estadão Conteúdo)