Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Diplomata americana se desculpa por xingar UE

Em conversa telefônica que vazou na internet com outro diplomata, Victoria Nuland profere grave xingamento ao referir-se ao bloco europeu

A principal diplomata americana para a Europa, Victoria Nuland, pediu desculpas na noite desta quinta-feira aos colegas do ‘Velho continente’, depois do vazamento, na internet, de uma conversa por telefone, na qual ela critica a resposta europeia para a crise política na Ucrânia. “F…-se a UE!”, diz a subsecretária de Estado americana para a Europa em um telefonema recente com o embaixador americano em Kiev, Geoff Pyatt, quando discutiam os próximos passos a seguir para tentar resolver a crise pelos protestos em favor da democracia na Ucrânia.

Funcionários americanos não negaram que a conversa – publicada em um vídeo no Youtube [confira abaixo do texto] com legendas em russo – tenha acontecido, mas se negaram a dar detalhes. Eles criticaram a Rússia por, supostamente, ter interceptado os telefonemas de diplomatas. Victoria “esteve em contato com seus colegas europeus e, claro, desculpou-se”, disse a porta-voz do Departamento de Estado, Jen Psaki. Para o porta-voz da Casa Branca, Jay Carney, o fato de o vídeo ter sido tuitado pelo governo russo “diz algo sobre o papel da Rússia” nos fatos. “Não discutimos conversas privadas”, acrescentou Carney, reforçando que Victoria “esteve em contato com seus pares da UE, e a relação é mais forte do que nunca”.

Leia também

Kerry declara apoio dos EUA aos protestos da Ucrânia

Na conversa por telefone, a subsecretária acrescenta ter tido informações de que o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pretende nomear um antigo embaixador holandês em Kiev, Robert Serry, como seu representante na Ucrânia. “Isso seria fantástico para ajudar a unir tudo isso, ter a ONU unindo isso e, você já sabe, f…-se a UE”, disse ela, em uma aparente referência às diferenças entre Washington e a UE sobre a Ucrânia. Nuland e Pyatt parecem discutir sobre a crise na Ucrânia e a oferta do presidente Viktor Yanukovich em janeiro de nomear o líder da oposição Arseny Yatsenyuk como primeiro-ministro e o popular boxeador e também opositor Vitali Klitschko como vice-primeiro-ministro. Ambos rejeitaram a oferta.

Em conversa com os jornalistas, a porta-voz Jen Psaki também rebateu as alegações russas de que Washington está se intrometendo na política interna de Kiev, já que, no telefonema, ouve-se a subsecretária falando de quem deveria e de quem não está no governo ucraniano. Não deveria “ser uma surpresa” que os funcionários americanos falem desse tema, comentou Psaki, insistindo em que se tratou de uma “conversa diplomática privada”.

(Com agência France-Presse)

Vídeo com a conversa telefônica (em inglês). O palavrão de Victoria aparece aos 3’01”.