Dinheiro sujo: o mistério dos euros nos banheiros de Genebra

O equivalente a mais de 300.000 reais em notas de 500 euros entupiram os toaletes de um banco e três restaurantes

Por Da redação - 18 set 2017, 17h24

Procuradores de Genebra anunciaram nesta segunda-feira que estão investigando o fato de os banheiros de um banco e três restaurantes da cidade terem ficado entupidos pelo equivalente a mais de 300.000 reais em notas de euro. “Não estamos tão interessados no motivo, mas queremos ter certeza sobre a origem do dinheiro”, disse o porta-voz Vincent Derouand, acrescentando que não é crime jogar dinheiro fora nem entupir um banheiro.

O jornal Tribune de Genève, que noticiou o depósito incomum, disse que o primeiro entupimento aconteceu no banheiro disponível no cofre do banco UBS, situado no distrito financeiro de Genebra, na Suíça. Depois, alguns dias mais tarde, três bistrôs das imediações também encontraram os seus toaletes repletos de notas de 500 euros.

Segundo o The Guardian, os investigadores suíços disseram que o dinheiro seria originalmente de um cofre pertencente a duas mulheres espanholas, que não foram identificadas. O advogado das mulheres teria aparecido em uma delegacia de polícia local e concordado em compensar os restaurantes pelos custos do entupimento. “O dano atingiu vários milhares de francos [suíços]”, disse uma fonte ao jornal, afirmando também que o advogado não explicou como nem por que o dinheiro foi para nos toaletes.

O dinheiro, que estava picado, foi confiscado durante a investigação. Não existe nenhuma razão imediata para se pensar que seja “dinheiro sujo”, disse Derouand, mas acrescentou que as circunstâncias do caso justificam uma investigação mais aprofundada.

Publicidade

No ano passado, o Banco Central Europeu decidiu não imprimir mais notas de 500 euros por causa do temor de que estejam sendo usadas com muita frequência para atividades ilícitas, como a lavagem de dinheiro.

Um porta-voz do UBS não quis comentar.

(com Reuters)

Publicidade