Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Dinamarca limpa último campo minado da 2ª Guerra Mundial em seu território

Por Da Redação
5 jul 2012, 09h04

Berlim, 5 jul (EFE).- As autoridades da Dinamarca anunciaram nesta quinta-feira a limpeza definitiva do último campo minado da Segunda Guerra Mundial em seu território, que se situava na península de Skallingen, litoral oeste do país.

Com a iniciativa, a Dinamarca se transforma no vigésimo Estado Parte do Convenção sobre a Proibição de Minas Antipessoal, ou Convenção de Ottawa, a cumprir as obrigações de desarmamento das minas.

A cerimônia foi conduzida pelo ministro dos Transportes dinamarquês, Henrik Dam Kristensen, que detonou pessoalmente os últimos dispositivos perigosos encontrados durante a operação de limpeza do terreno.

‘A Península de Skallingen tem uma paisagem em transformação, e as minas antipessoal foram instaladas em uma região de dunas móveis e em praias onde o deslocamento da areia mudou significativamente a localização dos dispositivos com a passagem do tempo’, detalhou o ministro, em comunicado.

Kristensen acrescentou que ‘além disso, devido a seu valor ambiental, Skallingen é uma área protegida. Foi preciso realizar uma avaliação ambiental exaustiva, e as operações de desminagem tiveram que cumprir restrições sobre o uso de veículos e explosivos, a fim de evitar perturbar colônias de criação de aves raras ou em extinção’.

Continua após a publicidade

Estima-se que durante a Segunda Guerra Mundial tenha sido instalado 1,4 milhão de minas na Dinamarca, e que a maior parte delasa tenha sido retirada entre 1945 e 1947.

Quando o país assinou a Convenção, em 1997, calculava-se que ainda existissem cerca de 300 hectares contaminados e de alta periculosidade para a população nessa península.

Pesquisas e revisões dos antigos mapas de campos minados reduziram essa área a 186 hectares, divididos, por sua vez, em três áres, das quais duas foram limpas entre 2005 e 2008, o que permitiu a restituição de 66 hectares do solo.

A desminagem da última área levou dois anos, entre julho de 2010 e junho de 2012, quando livrando os últimos 120 hectares das minas terrestres. EFE

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.