Clique e assine a partir de 9,90/mês

Diante de protestos, Putin suaviza proposta de reforma da Previdência

Nova versão reduz a idade mínima de aposentadoria para mulheres de 63 para 60 anos; popularidade do presidente caiu com tramitação do projeto

Por Da Redação - Atualizado em 29 Aug 2018, 20h27 - Publicado em 29 Aug 2018, 17h30

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, propôs nesta quarta-feira (29) uma versão mais suave de reforma das Previdência, de o anúncio das mudanças nas aposentadorias terem provocado protestos. Entre outras acomodações, o novo texto reduz a idade para mulheres se aposentarem de 63 para 60 anos.

Em uma mensagem incomum à nação, pela televisão, Putin defendeu o projeto em análise no Parlamento. O texto prevê o benefício antecipado para as mães de famílias numerosas e a adoção de sanções penais para as empresas que demitam os empregados que estão próximos da aposentadoria. Para os homens, a idade mínima permanece 65 anos, como na proposta anterior de reforma.

As propostas de Putin serão incluídas no projeto de lei o mais rápido possível, afirmou o primeiro-ministro russo, Dmitri Medvedev.

Em seu longo de seu discurso, Putin argumentou que projeto de reforma da Previdência, anunciado no dia da abertura da Copa do Mundo, 14 de junho, “não pode ser mais adiado”.

Continua após a publicidade

“Demonstrar dúvidas hoje pode, em longo prazo, ameaçar a estabilidade da sociedade e a segurança do país”, justificou Putin, referindo-se ao gerenciamento das contas e da dívida públicas.

“Sem reforma, mais cedo ou mais tarde, destruiremos nossas finanças, seremos obrigados a assumir dívidas ou a imprimir dinheiro sem reservas, com as consequências que isto provoca: hiperinflação e aumento da pobreza”, completou o presidente russo.

Putin justificou que o desequilíbrio atual do sistema de aposentadorias da Rússia é consequência direta da Segunda Guerra Mundial e do caos econômico e social dos anos 1990.

O projeto de lei original previa o aumento progressivo da idade mínima de aposentadoria – algo inédito na Rússia em quase 90 anos – para 63 anos, no caso das mulheres, e para 65, no caso dos homens. Atualmente, esses cortes são de 55 e de 60 anos, respectivamente.

Continua após a publicidade

Os críticos da reforma, aprovada em primeira votação no Parlamento em julho, afirmam que muitos russos não aproveitariam suas aposentadorias. Entre os homens, a expectativa de vida é de 66 anos.

Putin não mencionou a questão da Previdência durante sua campanha de reeleição, em março. Desde que passou a tratar do assunto, sua popularidade caiu de 80%, em maio, para 64%, em junho, de acordo com o centro russo de pesquisas de opinião VTsIOM.

O projeto provocou muitas manifestações em todo o país. O principal opositor do Kremlin, Alexei Navalny, condenado na segunda-feira a 30 dias de prisão, convocou um protesto contra o projeto de lei para 9 de setembro, quando acontecerão eleições regionais e municipais na Rússia.

Publicidade