Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Dezesseis mortos em ataques contra igrejas no Quênia

Por Tony Karumba - 1 jul 2012, 09h58

Homens armados abriram fogo e lançaram granadas neste domingo contra duas igrejas de Garissa, leste do Quênia, provocando a morte de pelo menos 16 pessoas.

“Dez pessoas foram mortas a tiros na igreja AIC (Africa Inland Church) e três ficaram feridas em uma igreja católica”, afirmou o chefe de polícia da região, Philip Ndolo.

“Condenamos estes atos da maneira mais firme”, completou.

De acordo com o diretor da Cruz Vermelha queniana, Abbas Gullet, seis pessoas morreram quando eram levadas para o hospital. Quarenta pessoas ficaram feridas, 10 delas em estado grave.

Publicidade

De acordo com a polícia, sete homens participaram nos ataques, mas ninguém foi detido até o momento.

“É um cenário terrível. Podemos ver os corpos no chão da igreja”, disse outro comandante policia, Leo Nyongesa.

Os ataques, que não foram reivindicados, aconteceram em duas igrejas de Garissa, uma localidade que fica a 140 km de fronteira com a Somália.

O Quênia é cenário de ataques desde que enviou, ano passado, tropas ao sul da Somália para ajudar a expulsar os islamitas shebab.

Publicidade

O governo queniano acusou os shebab, recentemente integrados à Al-Qaeda, e que ameaçaram o Quênia com represálias.

Publicidade