Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Dezesseis anos depois, EUA identificam morto no 11 de Setembro

Quase 3000 pessoas morreram depois que um grupo de terroristas sequestrou quatro aviões nos Estados Unidos

Por Da redação - Atualizado em 8 ago 2017, 15h32 - Publicado em 8 ago 2017, 12h19

Passados 16 anos do ataque, autoridades de Nova York identificaram os restos mortais de uma vítima do atentado de 11 de Setembro.

A pedido da família, o nome da vítima — do sexo masculino — não será divulgado, informou o Instituto Médico Legal da cidade.

Na tragédia, 2.977 pessoas morreram depois que um grupo de terroristas da Al Qaeda (organização fundada por Osama bin Laden) sequestrou e lançou dois aviões contra as Torres Gêmeas do World Trade Center e um contra o Pentágono, em Washington. Uma quarta aeronave acabou não atingindo o alvo e caiu em um campo aberto na Pensilvânia.

Até agora, foram identificados os restos mortais — fragmentos ósseos em sua maioria — de 1.641 pessoas.

Publicidade

Essa última identificação foi a primeira em mais de dois anos, segundo o jornal The New York Times.

“Esse trabalho em curso é vital, porque, com cada nova identificação, temos condições de trazer respostas às famílias afetadas por uma tremenda perda”, disse ao NYT a médica-legista-chefe, Barbara Sampson.

(Com AFP)

Publicidade