Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Destroços do MH17 serão remontados na Holanda

Avião com 298 pessoas a bordo foi abatido por míssil em julho, quando sobrevoava o leste da Ucrânia. Holanda lidera investigação sobre a queda

Por Da Redação - 1 dez 2014, 12h44

Os destroços do voo MH17 da Malaysia Airlines recuperados do local da queda, no leste da Ucrânia, serão reagrupados em uma base militar na Holanda para serem investigados. A aeronave foi abatida por um míssil quando sobrevoava a área controlada por separatistas pró-Moscou no dia 17 de julho. As 298 pessoas a bordo morreram.

As partes da carcaça recuperadas pelos serviços de emergência ucranianos sob supervisão holandesa serão levadas de caminhão para a base militar na próxima semana. “O Ministério da Defesa preparou o transporte dos destroços, e o carregamentos dos primeiros caminhões começará hoje”, declarou o Conselho de Segurança Holandês em comunicado.

Leia também:

MH17: novo vídeo mostra instantes seguintes à queda

Publicidade

Rússia insiste em tese estapafúrdia sobre voo MH17

Os restos do avião ficaram no local da queda durante meses porque os investigadores tinham dificuldade de chegar à área controlada por rebeldes. Alguns restos mortais de vítimas só descobertos recentemente foram enviados de avião para a Holanda na última sexta-feira para serem identificados.

Mais de dois terços das pessoas que estavam no voo de Amsterdã para Kuala Lumpur eram de nacionalidade holandesa. As autoridades do país assumiram a liderança na investigação da queda da aeronave.

(Com agência Reuters)

Publicidade