Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Descendentes de Mussolini não conseguem vaga no Parlamento da UE

Oito anos depois do escândalo sexual 'bunga-bunga', Silvio Berlusconi é eleito e planeja se instalar em mansão em Bruxelas com piscina e salão de festas

No paraíso da direita radical da União Europeia, a Itália de Matteo Salvini esquivou-se de eleger dois descendentes do ditador Benito Mussolini para o Parlamento do bloco. A informação foi confirmada nesta segunda-feira, 27, pelo bisneto do “duce”, Caio Giulio Cesare Mussolini, que concorria a uma cadeira pelo partido ultraconservador Irmãos da Itália. A neta Alessandra Mussolini era candidata pelo Força Itália, partido do ex-primeiro-ministro Silvio Berlusconi.

O bilionário e ex-primeiro-ministro Berlusconi, que se lançou há 25 anos na arena política, teve melhor sorte. O populista de direita foi eleito pela primeira vez para o Parlamento Europeu.

O magnata italiano das comunicações renunciou ao cargo de primeiro-ministro em 2011 por causa de seu envolvimento no escândalo sexual “bunga bunga” – a maneira como a dançarina Karima Mahroug, de 17 anos na época, referiu-se às festas oferecidas por Berlusconi. Dois anos depois, ele foi condenado por fraude fiscal.

Aos 82 anos e com problemas de saúde, o ex-primeiro-ministro preparou-se a seu modo para a nova missão: comprou uma mansão em Bruxelas com piscina, academia e salão de festa no bairro das embaixadas, segundo o jornal La Stampa.

O ex-primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi: representante clássico do populismo de direita – 30/03/2019

O ex-primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi: representante clássico do populismo de direita – 30/03/2019 (Stefano Montesi - Corbis/Getty Images)

Os eleitores italianos votaram no domingo 26 e deram vitória ao Liga Norte, partido do vice-primeiro-ministro Salvini, uma das estrelas da direita radical na Europa. A Liga Norte faz parte do Partido Popular Europeu (PPE). Segundo os resultados preliminares, a legenda conquistou 34,3% dos votos. O Partido Democrático, de centro-esquerda e membro do Aliança Progressista dos Socialistas e Democratas (S&D), aparece em segundo lugar, com 22,7% dos votos.

A legenda antissistema Movimento Cinco Estrelas teve 17,07%, o Partido Democrata, 22,7%, e o ultradireitista Liga, 34,3%, segundo os dados oficiais divulgados pelo Ministério do Interior. O Irmãos da Itália, partido de Caio Giulio Cesare, conseguiu 6,46% dos votos nas eleições europeias, ficando atrás do conservador Força Itália, de Alessandra Mussolini, que conseguiu 8,79%.

“Infelizmente fico fora do Parlamento Europeu. O partido (Irmãos da Itália) deveria ter duas cadeiras e eu fiquei em quarto. Não entramos nenhum dos dois”, explicou.

Caio Giulio Cesare Mussolini concorreu na circunscrição sul do país e obteve 22 mil votos, um resultado que considerou bom porque, segundo disse, nunca tinha feito política antes. esta foi sua primeira campanha eleitoral.

“Para uma pessoa que há 40 dias era um desconhecido, com recursos econômicos muito limitados e que em tão pouco tempo conseguiu ter este resultado, parece-me uma excelente demonstração de interesse”, ressaltou.

O bisneto do ditador não deixou de tripudiar de sua parente Alessandra Mussolini, que há 27 anos é política e recebeu 15 mil votos nesta eleição. “O clássico entre os dois Mussolini eu ganhei de forma contundente.”

(Com EFE)