Clique e assine a partir de 9,90/mês

Descendentes de Mussolini não conseguem vaga no Parlamento da UE

Oito anos depois do escândalo sexual 'bunga-bunga', Silvio Berlusconi é eleito e planeja se instalar em mansão em Bruxelas com piscina e salão de festas

Por Da Redação - 27 maio 2019, 19h52

No paraíso da direita radical da União Europeia, a Itália de Matteo Salvini esquivou-se de eleger dois descendentes do ditador Benito Mussolini para o Parlamento do bloco. A informação foi confirmada nesta segunda-feira, 27, pelo bisneto do “duce”, Caio Giulio Cesare Mussolini, que concorria a uma cadeira pelo partido ultraconservador Irmãos da Itália. A neta Alessandra Mussolini era candidata pelo Força Itália, partido do ex-primeiro-ministro Silvio Berlusconi.

O bilionário e ex-primeiro-ministro Berlusconi, que se lançou há 25 anos na arena política, teve melhor sorte. O populista de direita foi eleito pela primeira vez para o Parlamento Europeu.

O magnata italiano das comunicações renunciou ao cargo de primeiro-ministro em 2011 por causa de seu envolvimento no escândalo sexual “bunga bunga” – a maneira como a dançarina Karima Mahroug, de 17 anos na época, referiu-se às festas oferecidas por Berlusconi. Dois anos depois, ele foi condenado por fraude fiscal.

Aos 82 anos e com problemas de saúde, o ex-primeiro-ministro preparou-se a seu modo para a nova missão: comprou uma mansão em Bruxelas com piscina, academia e salão de festa no bairro das embaixadas, segundo o jornal La Stampa.

Continua após a publicidade
O ex-primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi: representante clássico do populismo de direita – 30/03/2019 Stefano Montesi - Corbis/Getty Images

Os eleitores italianos votaram no domingo 26 e deram vitória ao Liga Norte, partido do vice-primeiro-ministro Salvini, uma das estrelas da direita radical na Europa. A Liga Norte faz parte do Partido Popular Europeu (PPE). Segundo os resultados preliminares, a legenda conquistou 34,3% dos votos. O Partido Democrático, de centro-esquerda e membro do Aliança Progressista dos Socialistas e Democratas (S&D), aparece em segundo lugar, com 22,7% dos votos.

A legenda antissistema Movimento Cinco Estrelas teve 17,07%, o Partido Democrata, 22,7%, e o ultradireitista Liga, 34,3%, segundo os dados oficiais divulgados pelo Ministério do Interior. O Irmãos da Itália, partido de Caio Giulio Cesare, conseguiu 6,46% dos votos nas eleições europeias, ficando atrás do conservador Força Itália, de Alessandra Mussolini, que conseguiu 8,79%.

“Infelizmente fico fora do Parlamento Europeu. O partido (Irmãos da Itália) deveria ter duas cadeiras e eu fiquei em quarto. Não entramos nenhum dos dois”, explicou.

Caio Giulio Cesare Mussolini concorreu na circunscrição sul do país e obteve 22 mil votos, um resultado que considerou bom porque, segundo disse, nunca tinha feito política antes. esta foi sua primeira campanha eleitoral.

Continua após a publicidade

“Para uma pessoa que há 40 dias era um desconhecido, com recursos econômicos muito limitados e que em tão pouco tempo conseguiu ter este resultado, parece-me uma excelente demonstração de interesse”, ressaltou.

O bisneto do ditador não deixou de tripudiar de sua parente Alessandra Mussolini, que há 27 anos é política e recebeu 15 mil votos nesta eleição. “O clássico entre os dois Mussolini eu ganhei de forma contundente.”

(Com EFE)

Publicidade