Clique e assine a partir de 9,90/mês

Desastres naturais matam 4.996 pessoas em 2018

Confira as 16 tragédias que trouxeram destruição, luto e desafios para os povos e governos de 11 países do globo

Por Pietra Carvalho - Atualizado em 30 jul 2020, 19h59 - Publicado em 27 dez 2018, 08h00

Chamas, terremotos, furacões, tormentas, inundações, erupções vulcânicas e até mesmo tempestades de areia trouxeram destruição e desesperado para milhões de pessoas ao longo de 2018. Os 17 desastres naturais mais graves do ano atingiram 11 países e ceifaram 5.425 vidas. A Indonésia foi palco de três tragédias, e os Estados Unidos, de quatro.

Boa parte dos acidentes foi potencializada pelo processo de aquecimento climático do planeta, cujo principal efeito é justamente tornar mais fortes e agressivos os fenômenos naturais. No momento em que líderes, como o americano Donald Trump, desconsideram a ação humana sobre a mudança no clima e prometem rasgar compromissos para impedir o aumento da temperatura da terra, as pesquisas científicas evidenciam incontestavelmente que os acidentes naturais continuarão a cobrar vidas e perdas materiais.

Janeiro – Deslizamentos na Califórnia, EUA

Tempestades atingiram a Califórnia e causaram deslizamentos. Pelo menos 21 pessoas morreram. Em Santa Bárbara, a região mais afetada, a lama invadiu as casas, fechou as estradas e arrastou carros. O desastre aconteceu um mês depois de incêndios terem atingido a mesma área.

Imagens do dia - Deslizamento de terra na California (EUA)
Casa colapsada na estrada Glen Oaks, da cidade de Montecito, cercada por lama e pedras – 11/01/2018 Kenneth Song/Santa Barbara News-Press/Reuters

Fevereiro – Terremoto em Papua Nova Guiné

Terremoto de magnitude 7,5 graus na escala Richter atingiu a Papua Nova Guiné em 26 de fevereiro deixando 67 vítimas fatais e danificando uma grande usina de gás. Fortes tremores secundários prejudicaram ainda mais a situação da região. Pelo menos 17.000 moradores ficaram desabrigados.

Continua após a publicidade
Moradores caminham em local soterrado por terra, próximo do vilarejo de Ekari – 27/02/2018 Melvin Levongo/AFP

 

Fevereiro – Terremoto no Taiwan

Um tremor de 6,4 graus na escala Richter atingiu Taiwan matando 17 pessoas. Em Hualien, cidade com 110.000 habitantes, 40.000 pessoas ficaram sem água. Quatro grandes prédios colapsaram ou foram danificados, deixando feridos entre os escombros.  

Equipe de resgate trabalha em prédio prestes a tombar depois dos tremores em Hualien – 07/02/2018 STR/Reuters

Maio – Ondas de Calor no Paquistão

Ondas de calor mataram 65 pessoas em apenas três dias na cidade de Karachi, no Paquistão. As temperaturas chegaram a 44 graus Celsius em maio deste ano, muito acima da média de 35 graus Celsius. A situação foi agravada pela falta de energia e o jejum no mês sagrado islâmico, o Ramadã.

Paramédico auxilia paciente vítima de insolação em ambulância em Karachi – 31/05/2018 Rizwan Tabassum/AFP

  

Continua após a publicidade

Maio – Tempestades de areia na Índia

Pelo menos 125 pessoas morreram durante as fortes tempestades de areia que atingiram quatro estados da Índia em maio deste ano. A velocidade dos ventos alcançou 109 km/h. Muitas das vítimas estavam em casas que colapsaram por causa das fortes correntes de ar e areia. 

Tempestade de areia na Índia
Veículos se movimentam na Rodovia Rickshaw durante tempestade de areia em Mathura //AFP

Junho – Vulcão na Guatemala  

A erupção do vulcão Fuego, na Guatemala, pegou especialistas de surpresa e causou a morte de 425 pessoas no último mês de junho. Vilas nas encostas ficaram cobertas de cinzas e lama vulcânica. Mais de 1,7 milhão de pessoas foram afetadas, das quais 3.000 foram removidas para abrigos.

Vulcão Fuego
Vulcão Fuego entra em erupção em El Rodeo  – 03/06/2018 PIB/AFP

Junho/Julho – Chuvas torrenciais na Tailândia

Chuvas torrenciais durante a temporada de monções na Tailândia foram responsáveis pelo drama do time de futebol Javalis Selvagens, que ficou preso em uma caverna por 18 dias. Os 12 garotos e o  técnico foram surpreendidos pelo rápido aumento do nível da água e buscaram abrigo em partes mais profundas da caverna. Um experiente mergulhador morreu na tentativa de auxiliá-los.

Os meninos tailandeses e o técnico ao serem encontrados na caverna Tham Luang – 02/07/2018 Royal Thai Navy/AFP

Julho – Incêndios em Ática, na Grécia

A região de Ática foi devastada por incêndios florestais, que mataram 99 pessoas em julho passado. Parte das vítimas era turista na vila de Mati, que foi totalmente consumida pelas chamas.

Continua após a publicidade
Bombeiros e voluntários combatem as chamas no vilarejo de Kineta, próximo a Atenas – 24/07/2018 Valerie Gache/AFP

Julho – Inundações no Japão

Os deslizamentos e as enchentes causadas pelas chuvas torrenciais foram considerados como o maior desastre natural do Japão desde o tsunami de 2011. As cidades da região receberam entre 300 e 500 ml de chuva em apenas duas horas – uma vez e meia o esperado para o mês inteiro.

Casas submersas e destruídas em área inundada de Mabi, na província de Okayama – 08/07/2018 Issei Kato/Reuters

Agosto – Inundações na Índia

As chuvas de monções deixaram pelo menos 361 mortos e mais de 800.000 desabrigados no estado de Kerala, na Índia. O nível das águas subiu três metros em algumas vilas. Os prejuízos materiais, entre os quais os danos em 10.000 quilômetros de estradas, foram estimados em 3 bilhões de dólares.

Vista aérea mostra residências parcialmente submersas no estado indiano de Kerala – 17/08/2018 Sivaram V/Reuters

Agosto – Terremoto na Indonésia   

A ilha indonésia de Lombok foi atingida por três grandes terremotos em agosto. O primeiro, no dia 5, deixou mais de 460 mortos e toda a região sem energia. A vizinha Bali também foi afetada. Os corpos das vítimas foram enterrados em valas coletivas para evitar contaminação.

A mesquita Jamiul Jammah é destruída por terremoto no norte da ilha de Lombok – 08/08/2018 Antara Foto/Zabur Karuru/Reuters

Setembro – Inundações na Nigéria

A Nigéria declarou “calamidade nacional” depois das inundações que castigaram o país em setembro, deixando 200 mortos. Cerca de 176.000 pessoas ficaram desabrigadas em vários estados. A situação  foi agravada por dois rios que transbordaram, varrendo casas no centro do país.

Continua após a publicidade
Homem gesticula ao lado de sua casa na cidade nigeriana de Lokoja, no estado de Kogi – 14/09/2018 Sodiq Adelakun/AFP

Setembro – Terremoto e tsunami na Indonésia

Um terremoto seguido de tsunami atingiu a ilha de Sulawesi, na Indonésia, em 28 de setembro. Centenas de pessoas estavam reunidas em uma praia da região para um festival quando ondas de até seis metros atingiram a costa. O número total de mortos foi estimado em 2.783 pessoas.

Sobrevivente caminha debaixo de carro após terremoto e tsunami na região de Palu – 01/10/2018 Jewel Samad/AFP

Setembro – Furacão Florence na Costa Leste dos EUA

O Furacão Florence chegou aos estado da Carolina do Norte e Carolina do Sul classificado na categoria 1, a mais baixa. Mesmo com os alertas e medidas de prevenção, suas  fortes chuvas, inundações e tornados causaram a morte de 53 pessoas. Milhares ficaram sem energia por dias.

Oliver Kelly, de 1 ano, é resgatado da enchente provocada pelo furacão Florence em Leland – 16/09/2018 Jonathan Drake/Reuters

Outubro – Furacão Michael na Flórida, EUA

O estado da Flórida foi a região mais afetada pela passagem do Furacão Michael, em outubro, com ventos que atingiram 250 km/h. Nove pessoas morreram, e a cidade de Mexico Beach ficou completamente devastada.

Bandeira dos EUA entre casas destruídas pelo furacão Michael em Mexico Beach – 11/10/2018 Jonathan Bachman/Reuters

Novembro – Incêndios na Califórnia, EUA

Os incêndios no norte da Califórnia e na região de Los Angeles começaram no dia 8 de novembro e se arrastaram por semanas, matando pelo menos 85 pessoas. A cidade de Paradise ficou totalmente destruída. A área do estado atingida pelo fogo equivale a cinco vezes o tamanho de São Francisco. O prejuízo material foi estimado entre 15 e 19 bilhões de dólares.

Continua após a publicidade

Dezembro – Tsunami na Indonésia

Tsunami provocado pela erupção do vulcão submerso Anak Krakato matou 429 litoral da Indonésia no sábado 22. A Agência Nacional de Gestão de Desastres (BNPB) registra 154 pessoas desaparecidas e mais de 1.500 feridas na tragédia, que atingiu principalmente o estreito de Sunda. Não houve alarmes de tsunami. Como o vulcão continua em atividade, novos tsunamis podem atingir a Indonésia, que enfrentou durante o ano outros dois graves desastres naturais.

Publicidade