Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Desastre no metrô na Cidade do México deixa ao menos 23 mortos

Moradores da região reforçaram imediatamente denúncias sobre condições precárias da estrutura, danificada no último grande terremoto que atingiu capital

Por Da Redação Atualizado em 4 Maio 2021, 11h17 - Publicado em 4 Maio 2021, 11h14

Ao menos 23 pessoas morreram e 70 ficaram feridas na noite de segunda-feira, 3, após o rompimento de uma viga em viaduto de 12 metros de altura por onde passava um trem do metrô da Cidade do México.

A estrutura sobre a qual o metrô circulava ruiu e dois dos vagões caíram em uma movimentada avenida cheia de veículos às 22h20, no horário local. Nas redes sociais, moradores da região reforçaram imediatamente as denúncias que já tinham feito sobre as condições precárias da estrutura, que foi danificada no último grande terremoto que atingiu a capital mexicana, em setembro de 2017.

Em vídeo das câmeras de vigilância do governo, é possível observar a estrutura cedendo durante a passagem do trem, que caiu de uma altura de mais de 10 metros, com dois vagões em formato de “V” no solo.

Equipe de resgate ao lado de destroços após acidente em metrô na Cidade do México. 03/05/2021
Equipe de resgate ao lado de destroços após acidente em metrô na Cidade do México. 03/05/2021 Silvana Flores/Getty Images

O metrô da capital mexicana transporta cerca de 6 milhões de pessoas todos os dias úteis, sendo assim um dos mais movimentados do mundo, apesar da baixa utilização durante o fim de semana.

“Lamentavelmente, o que ocorreu foi o colapso de uma viga na passagem de um trem. Serão feitas todas as investigações para conhecer as causas deste acidente”, informou a chefe de governo da capital, Claudia Sheinbaum, em entrevista coletiva.

Sheinbaum revelou que há menores de idade entre as vítimas, mas não detalhou se estão mortos ou feridos. Segundo a governante, 23 pessoas morreram até o momento.

Continua após a publicidade

Nesta terça-feira, o presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, garantiu que o caso será investigado a fundo e apoiou a postura do governo da capital, que já anunciou a solicitação de duas perícias, uma da Procuradoria-Geral e outra de uma empresa internacional especializada. O mandatário afirmou que “absolutamente nada será ocultado” porque o “povo do México tem que conhecer toda a verdade”.

“O que ocorreu no metrô é uma tragédia terrível. Minha solidariedade às vítimas e suas famílias”, disse o ministro das Relações Exteriores, Marcelo Ebrard, em publicação no Twitter. “Evidentemente, devem ser investigadas as causas para que as responsabilidades sejam determinadas. Estou à disposição das autoridades para contribuir em tudo que seja necessário”.

A estrutura que entrou em colapso faz parte da linha do metrô construída quando Ebrard foi chefe de governo da capital, entre 2006 e 2012.

A linha 12 foi inaugurada em 30 de outubro de 2012, mas fechada em março de 2014 por falhas, e reabriu de outubro a novembro em 2015. O trecho foi reinaugurado sob o governo de Miguel Ángel Mancera (2012-2018) e, posteriormente, segundo os moradores da região, a estrutura foi afetada pelos terremotos de setembro de 2017.

Diversas organizações criticaram a precariedade das instalações do metrô da cidade e a falta de manutenção, que causa interrupções no serviço com frequência. No dia 9 de janeiro, houve um incêndio no centro de controle do metrô da Cidade do México, no Centro Histórico, que causou uma morte e deixou 30 trabalhadores intoxicados e seis linhas sem operar.

(Com EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade