Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Deputados do Mercosul estudam suspensão da Venezuela

Representantes de Argentina, Paraguai e Uruguai desaprovam atos violentos decorrentes da eleição presidencial de 14 de abril, vencida por Nicolás Maduro

Por Da Redação 10 Maio 2013, 11h12

Representantes de Argentina, Paraguai e Uruguai no Parlamento do Mercosul pediram uma sessão especial para discutir a permanência da Venezuela no bloco, informou nesta sexta-feira o jornal venezuelano El Nacional. Os deputados pretendem pedir a suspensão da Venezuela diante dos atos violentos em decorrência das eleições presidenciais de 14 de abril.

Leia também:

Maduro presenteia Dilma com imagem de Chávez e elogia Lula

Os representantes pediram ao presidente do Parlamento do Mercosul, o paraguaio Ignacio Mendoza, uma análise das acusações de fraude eleitoral, perseguição e ataque à oposição para determinar se o país cumpre a cláusula democrática do Protocolo de Ushuaia. “Vários fatos motivam a análise. Entre eles, a preocupante situação derivada do processo eleitoral, o espancamento de deputados opositores pelo regime governante, a perseguição aos veículos críticos de imprensa e as denúncias de severas violações de direitos humanos”, diz o texto da petição.

Reinaldo Azevedo:

Dilma, Afif e Maduro agora estão todos juntos. Contra quem lutam?

Continua após a publicidade

Os deputados pediram também que se retire a suspensão do Paraguai e a paralisação do processo de entrada da Venezuela até que o senado paraguaio ratifique o protocolo de adesão. “Não é possível que esteja suspenso um país como o Paraguai, que defende valores democráticos, e se queira incorporar a Venezuela, cujo governo viola sistematicamente todos os princípios que qualquer democracia deve resguardar”, disse o deputado argentino Julián Obiglio. O Paraguai foi suspenso do bloco após o impeachment do então presidente Fernando Lugo.

Saiba mais:

‘Democracia não se desenvolve sem independência de poderes’, diz relatora da ONU

A petição foi apresentada por senadores e deputados de Uruguai, Paraguai e Argentina. Esperava-se que representantes do Brasil fizessem o mesmo na tarde de quinta-feira, o que não aconteceu.

Venezuela – Na tarde de quinta-feira, o presidente venezuelano Nicolás Maduro estava reunido com Dilma Rousseff em Brasília no último dia de seu primeiro giro internacional como mandatário da Venezuela. “Pedimos mais apoio do Brasil para o desenvolvimento de uma revolução agroalimentícia na Venezuela”, disse Maduro.

Continua após a publicidade
Publicidade