Clique e assine a partir de 9,90/mês

Deputado eleito é assassinado junto com irmão na Guatemala

Por Da Redação - 13 jan 2012, 13h50

Guatemala, 13 jan (EFE).- O deputado Oscar Valentín Leal, eleito pelo Congresso da Guatemala no último mês de setembro, e seu irmão Erick foram assassinados nesta sexta-feira, na véspera da data prevista para a cerimônia de posse presidencial.

O general aposentado Otto Pérez Molina, que assumirá a Presidência do país substituindo Álvaro Colom, confirmou que Leal iria compor as cadeiras do governista Partido Patriota (PP) na nova legislatura.

O político assassinado tinha sido reeleito no departamento de Alta Verapaz pelo partido Liberdade Democrática Renovada nas eleições gerais, realizadas em setembro de 2011. No entanto, na última quinta-feira, o político decidiu se mudar para o PP, segundo o futuro presidente guatemalteco.

Na legislatura 2008-2012, Leal foi deputado do governista União Nacional da Esperança (UNE). Segundo Pérez Molina, Leal estava recebendo ‘muitas ameaças’ através de ligações telefônicas, embora não tenha detalhado de onde e quem articulava essas advertências.

‘Lamentamos todo esse clima de violência e insegurança. É triste que ainda ocorra este tipo de situações’, declarou o militar aposentado, de 61 anos, que será assumirá o cargo de novo Chefe de Estado na presença de numerosas delegações internacionais. Substituindo o social-democrata Álvaro Colom, Perez Molina terá um mandato de quatro anos.

O futuro presidente da Guatemala fez uma chamada ao Ministério Público para que encontrem os responsáveis pelo assassinato do deputado eleito, de modo que este crime não fique impune.

O porta-voz da Polícia Nacional Civil (PNC), Jorge Aguilar, disse que os agentes dessa instituição e da Procuradoria já abriram uma investigação para apurar o caso e estão verificando as gravações das câmeras que estão instaladas na estrada onde aconteceu o duplo assassinato.

Leal e seu irmão estavam a bordo de uma caminhonete agrícola que, segundo versões das testemunhas, foi atingida por inúmeros disparos feitos por dois sujeitos, os quais acompanhavam o político de moto.

Os corpos baleados dos irmãos ficaram dentro do veículo. Neste episódio, um guarda-costas do político assassinado, identificado como Gerber Velásquez, também ficou ferido, mas não corre risco de vida. EFE

Continua após a publicidade
Publicidade