Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Deputado de Hong Kong é alvo de atentado a faca

Após ser ferido no peito, Junius Ho ajudou outras três pessoas a imobilizarem o agressor

Por Da Redação Atualizado em 30 jul 2020, 19h36 - Publicado em 6 nov 2019, 18h23

Alvo das críticas dos manifestantes que pedem eleições democráticas em Hong Kong, o deputado pró-Pequim Junius Ho foi ferido na manhã desta quarta-feira, 6, em um ataque com faca, segundo o jornal independente local South China Morning Post.

Em um comunicado, Ho, que é reconhecido na imprensa internacional como um parlamentar a favor do controle do governo chinês sobre o Executivo e parte do Legislativo de Hong Kong, disse que sua vida não corre perigo e que passará por cirurgia por conta do ferimento ocorrido na parte superior do peito esquerdo.

Apesar do sangramento, o deputado se juntou a outras três pessoas para imobilizar o agressor, que foi preso logo após o ataque.

O atentado foi gravado e o vídeo publicado na internet. As imagens mostram como o agressor se aproxima silenciosamente de Ho, aperta a mão dele e lhe entrega um buquê de flores enquanto diz: “Todos viram seus esforços”. Em seguida, o agressor pede para tirar uma foto com o político e, com a desculpa de pegar o celular da bolsa, retira a faca para feri-lo.

O membro do Conselho Legislativo de Hong Kong o LegCo, que representa o Poder Legislativo da região administrativa especial da República Popular da China estava na rua fazendo campanha para as eleições do Conselho Distrital, que serão realizadas no próximo dia 24.

Essa não é a primeira vez que a figura de Ho é atacada. No final de julho, os túmulos de seus pais, na aldeia de Leung Tin, foram depredados.

Continua após a publicidade

O Post também publicou fotos de Ho com sua camisa branca ensanguentada, enquanto é atendido pelos médicos no local. As imagens também mostram o político sendo colocado em uma ambulância.

Associação com vandalismo pró-China

Ho foi muito questionado após um grupo de homens armados com bastões e barras de metal atacar manifestantes pró-eleições democráticas na estação de metrô Yuen Long em julho. O atentado deixou pelo menos 45 pessoas feridas.

Como reportado pelo jornal americano The New York Times, a polícia oficial de Hong Kong não tentou conter os agressores, o que aumentou as suspeitas de que a ação esteja associada a visões pró-Pequim.

Alguns dias após o atentado, o deputado foi visto apertando as mãos dos homens responsáveis pelo ataque e agradecendo a eles, embora negasse qualquer conexão com os agressores. O momento foi registrado em um vídeo que viralizou na época.

(Com EFE)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês