Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Depois da Copa, emir do Catar ‘tira folga’ em Búzios e Angra dos Reis

Dono de fortuna bilionária, ele é conhecido por sair de férias anualmente com a família a bordo do luxuoso iate real

Por Caio Saad, Matheus Deccache Atualizado em 27 dez 2022, 16h51 - Publicado em 27 dez 2022, 16h47

Após sediar a Copa do Mundo mais lucrativa da história e realizar encontros com diversos líderes, o emir do Catar, Tamim bin Hamad Al Thani, parece ter tirado uma desejada folga.

Na segunda-feira, 26, o Ministério das Comunicações brasileiro autorizou a embaixada do Catar no Brasil a realizar uma operação temporária de equipamentos durante visita do xeique às cidades de Angra dos Reis, Armação dos Búzios, Arraial do Cabo, Rio de Janeiro e Brasília. Segundo publicação no Diário Oficial da União, a operação tem duração de 25 de dezembro de 2022 a 1º de janeiro de 2023.

Apesar de não se saber se o mandatário árabe estava a bordo de seu luxuoso Boeing 747-8, o maior jato executivo do mundo, o avião pousou no Rio de Janeiro no último domingo, 25. Curiosamente, segundo dados da plataforma de rastreamento de voos RadarBox, a aeronave não tinha saído de Doha, e sim de Miami.

+ Com recordes, veja quanto a Fifa já arrecadou com a Copa do Catar

Dono de uma fortuna  pessoal avaliada em dois bilhões de dólares (R$ 10,5 bilhões), o emir de 42 anos tem três esposas e 13 herdeiros e sai de férias anualmente com toda a sua família para aproveitar os dias sabáticos a bordo do luxuoso iate real, avaliado em 200.000 euros (R$ 1,1 bilhão). 

Continua após a publicidade

Homem mais rico do Catar, Al Thani obteve grande parte de seu dinheiro através da exploração do petróleo e gás natural no país, o que o levou a investimentos em várias áreas. Além de ter mais de quatro mil propriedades no Reino Unido – número que supera até mesmo a monarquia britânica –, ele coleciona ações do banco britânico Barclays, da companhia aérea British Airways e da fabricante de veículos Volkswagen. 

+ Mais de 400 trabalhadores imigrantes morreram no Catar, diz chefe da Copa

Aqui no Brasil, o emir também ganhou notoriedade após se tornar alvo de fake news durante o início da Copa do Mundo. Usuários das redes sociais disseram que ele denunciou uma suposta fraude eleitoral no discurso de abertura do torneio, em 20 de novembro, mas Al Thani não mencionou nenhum desses assuntos em sua fala. 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.