Clique e assine com 88% de desconto

Defesa de ex-mordomo não recorre e aguarda perdão papal

Paolo Gabriele foi condenado a 18 meses de prisão por vazar documentos

Por Da Redação - 11 out 2012, 15h20

A defesa de Paolo Gabriele não vai recorrer da sentença de 18 meses de prisão pronunciada contra ele no sábado pelo tribunal do Vaticano, informou nesta quinta-feira uma fonte judicial. Em vez disso, o ex-mordomo aguardará o perdão de Bento XVI. Gabriele é o pivô do escândalo do vazamento de documentos confidenciais do Vaticano à imprensa, apelidado de “Vatileaks”.

A advogada Cristiana Arru não apresentou a apelação dentro do prazo determinado, que era de três dias a partir da condenação. Serão concedidos mais alguns dias para que a advogada apresente os motivos. Gabriele deverá ir para a cadeia na Itália, já que não há prisão na cidade do Vaticano. O mordomo, que foi condenado por furto agravado, permanece em prisão domiciliar, na casa onde vive com sua mulher e três filhos.

Leia também:

Leia também: Rapidez em julgamento joga suspeitas sobre Vaticano

Publicidade

No entanto, de acordo com fontes citadas pela agência italiana Ansa, o Vaticano procura uma solução para que Gabriele continue a trabalhar, já que ele segue recebendo seu salário, mesmo estando suspenso. Alguns especialistas consideram que Gabriele pode fazer mais revelações se for libertado em breve, principalmente se permanecer na Itália e se não tiver vínculos com o Vaticano.

Papa – O anúncio do perdão papal, porém, ainda é aguardado com grande expectativa. O porta-voz da Santa Sé falou sobre essa possibilidade logo após o veredicto, no último sábado, considerando-a “muito concreta e provável”.

O papa é o único que decide quando será anunciado o perdão, que deve vir por meio de um comunicado da Santa Sé.

(Com agência France-Presse)

Publicidade