Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Daniel Scioli lidera pesquisas para a Presidência argentina

O candidato governista tem quase 40% das intenções de voto, contra 31% de seu rival, o opositor Mauricio Macri. A vantagem de Scioli, no entanto, não afasta o segundo turno

O candidato kirchnerista à Presidência da Argentina, Daniel Scioli, mantém sua vantagem sobre os aspirantes opositores para as eleições de 25 de outubro, segundo duas pesquisas divulgadas nesta segunda-feira na imprensa argentina. Scioli, que obteve 38,5% dos votos nas primárias de 9 de agosto, continua liderando as intenções para as próximas eleições gerais, embora os números ainda não lhe garantam a possibilidade de vencer no primeiro turno.

De acordo com a empresa de consultoria Management & Fit, 39,3% dos entrevistados responderam que votarão no governador da província de Buenos Aires. Já Mauricio Macri, prefeito portenho e candidato da opositora coalizão Mudemos, tinha 31,2% das intenções de voto. Em terceiro lugar ficou o peronista dissidente Sergio Massa, que alcançava 18,3%. A pesquisa foi realizada com 2.400 pessoas e publicada no jornal “Clarín”.

Leia também

Aliado de Cristina Kirchner perde na eleição de Buenos Aires

Como pensa Mauricio Macri, o favorito para a Casa Rosada

Argentina: Patrimônio do ministro da Economia está na mira da Justiça

Por outro lado, para a empresa de consultoria Aresco, a candidatura governista alcançaria 40,5% dos votos em outubro, enquanto o candidato de Mudemos conseguiria 30,3% de intenções de voto. Ao todo, 4.156 cidadãos foram entrevistados em todo o país. As perguntas foram feitas por telefone, em estações de trem e em regiões pobres. Essa pesquisa, publicada no jornal Página/12, é a mais otimista com relação à possibilidade de Scioli vencer no primeiro turno.

Na Argentina, para ser eleito presidente no primeiro turno é necessário obter 45% dos votos ou mais de 40% com uma diferença de dez pontos sobre o segundo candidato mais votado. Após 12 anos de kirchnerismo no poder, o país realizará eleições presidenciais em 25 de outubro, enquanto um eventual segundo turno aconteceria em 22 de novembro.

(Da redação)