Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cúpula europeia de 12 de fevereiro terá o terror como tema

Informação foi confirmada pelo presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk

A cúpula europeia prevista para 12 de fevereiro em Bruxelas será dedicada à luta contra o terrorismo, após o atentado contra a revista satírica francesa Charlie Hebdo, anunciou nesta sexta-feira o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk. “Falei com o presidente francês François Hollande ontem [nesta quinta] à noite e tenho a intenção de utilizar a reunião de chefes de Estado e de governo de 12 de fevereiro para abordar a resposta que a União Europeia pode fornecer aos desafios” da luta antiterrorista, disse Tusk após uma reunião em Riga com a primeira-ministra da Letônia, Laimdota Straujuma.

O violento ataque em Paris também ressaltou a importância da proposta sobre o compartilhamento de dados de companhias aéreas, que tem sido bloqueada por deputados europeus, afirmou Tusk. O presidente do Conselho Europeu disse que vai pedir na próxima semana ao Parlamento Europeu que acelere os trabalhos referentes à proposta, segundo a qual a polícia e agências de inteligência teriam acesso a anos de informações sobre passageiros que viajam para e da União Europeia. “Eu espero que isso possa nos ajudar a descobrir as viagens de pessoas perigosas. É muito importante, especialmente após o trágico ataque em Paris”, disse Tusk.

Leia também

Hollande convoca população para manifestação de domingo

Polícia cerca fábrica onde estariam os irmãos Kouachi

União Europeia prepara novo plano antiterror

Na próxima segunda-feira, o presidente do Parlamento Europeu deve mencionar o combate ao terrorismo em seu discurso de abertura. O presidente da Comissão Europeia, o órgão Executivo da UE, Jean-Claude Juncker, confirmou que o bloco deve apresentar um novo plano antiterror. “Sei por experiência que não se deve reagir no dia seguinte a uma tragédia, porque se comete o erro de ir longe demais ou ficar muito aquém, mas o que aconteceu em Paris nos interpela a apresentar um novo programa antiterrorista nas próximas semanas”, disse.

A União Europeia tem várias ferramentas de combate ao terrorismo, desde um serviço de compartilhamento de informações até mecanismos de financiamento do combate ao extremismo, informou a porta-voz da Comissão Europeia, Natasha Bertaud. “Nosso papel no combate ao terror é primariamente de apoio”, disse, lembrando que cerca de 2.500 integrantes do grupo terrorista Estado Islâmico podem ter origem europeia.

Leia também:

Grã-Bretanha promete caçar assassinos do Estado Islâmico

Grã-Bretanha anuncia nova legislação antiterrorista